28 de Setembro de 2017 / às 20:44 / em 2 meses

Governo promoveu negociação "longa e dura" para aprovar Refis, diz ministro do Planejamento

BRASÍLIA (Reuters) - O governo promoveu uma negociação “longa e dura” para aprovar o texto-base do Refis na Câmara dos Deputados, mas uma eventual frustração de receitas pode ser compensada pelo resultado dos leilões de hidrelétricas e energia, disse o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, nesta quinta-feira.

“O governo poderia até ser acusado do contrário, de não ter cedido”, disse Oliveira, durante a cerimônia de anúnico da antecipação de recursos de PIS/Pasep.

Na véspera, a Câmara aprovou um texto mais frouxo do que defendido pelo governo para o programa que trata de renegociação de dívidas tributárias, passando a admitir descontos maiores sobre os valores devidos e o pagamento de entradas mais modestas no âmbito dos parcelamentos.

Mais cedo nesta quinta-feira, a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, estimou perdas de 5 bilhões de reais neste ano com as alterações no programa, embora esse número não esteja sendo formalmente considerado pelo Ministério da Fazenda, já que a tramitação do texto ainda não foi concluída.

Já os leilões de hidrelétricas e de petróleo renderam ao governo 4,5 bilhões de reais acima do esperado, destacou Ana Paula, compensando parte da frustração com o Refis.

Reportagem de Lisandra Paraguassu; Texto de Luiz Guilherme Gerbelli; Edição de Marcela Ayres

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below