2 de Outubro de 2017 / às 18:42 / em 2 meses

Brasil tem superávit comercial recorde para setembro, de US$5,178 bi, diz ministério

BRASÍLIA (Reuters) - O Brasil registrou superávit comercial de 5,178 bilhões de dólares em setembro, melhor para o período da série histórica iniciada em 1989, novamente impulsionado pelo avanço das exportações, divulgou o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) nesta segunda-feira. O dado veio em linha com a estimativa de saldo positivo de 5 bilhões de dólares em pesquisa Reuters com analistas.

Em setembro, as exportações cresceram 24,0 por cento sobre igual mês do ano passado, pela média diária, a 18,666 bilhões de dólares.

As importações também subiram, mas em menor ritmo. O aumento foi de 18,1 por cento na mesma base de comparação, a 13,488 bilhões de dólares.

No acumulado dos nove primeiros meses do ano, o superávit da balança comercial já é de 53,283 bilhões de dólares, superando o saldo positivo de 47,683 bilhões de dólares alcançado em todo o ano de 2016.

Diante desse quadro, O MDIC melhorou em julho sua expectativa para a performance anual, passando a enxergar um superávit recorde de 60 bilhões de dólares para a balança em 2017.

O Banco Central, por sua vez, também elevou suas projeções no fim do último mês para um superávit comercial de 61 bilhões de dólares este ano.

DESTAQUES MENSAIS

As exportações tiveram alta generalizada em setembro, com destaque para os produtos básicos, cujas vendas cresceram 36,7 por cento ante igual mês do ano passado, puxadas pelo avanço de soja em grão (+178,8 por cento), minério de ferro (+18,9 por cento) e petróleo em bruto (+16,7 por cento).

As exportações de manufaturados cresceram 18,0 por cento ante setembro de 2016, e as de semimanufaturados aumentaram 11,1 por cento na mesma base.

Na ponta das importações, todas as categorias também mostraram desempenho positivo. O avanço na comparação anual foi de 34,5 por cento para bens de capital, de 26,4 por cento para combustíveis e lubrificantes, 15,9 por cento para bens de consumo e 15,1 por cento para bens intermediários.

Por Marcela Ayres

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below