February 16, 2018 / 7:09 PM / 10 months ago

Colheita de soja no Brasil atinge 17% da área; chuva causa perda pontual em MT

SÃO PAULO (Reuters) - A colheita de soja da safra 2017/18 no Brasil avançou para 17 por cento da área, com Mato Grosso ainda puxando os trabalhos, embora chuvas recentes comecem a provocar perdas pontuais nas lavouras do principal produtor nacional, informou nesta sexta-feira a AgRural.

Trabalhadores preparam colheita de soja em lavoura em Gilbués, no Estado do Piauí, Brasil 20/03/2017 REUTERS/Roberto Samora

Conforme a consultoria, a colheita até quinta-feira no país estava ligeiramente atrasada ante a média de cinco anos, de 19 por cento, e bem aquém do observado há um ano, quando os trabalhos atingiam 26 por cento da área.

Segundo a AgRural, “apesar da chuva, Mato Grosso teve bom avanço na semana, passando de 30 por cento para 45 por cento, e segue na liderança entre os Estados”.

“Os reportes de soja com excesso de umidade têm aumentado, mas as perdas são pontuais e, por enquanto, não ameaçam a supersafra do Estado”, ponderou a consultoria.

Especialistas têm alertado para a previsão de mais chuvas não só em Mato Grosso, mas também em boa parte do Brasil na segunda quinzena de fevereiro, o que pode comprometer os trabalhos de campo.

Conforme a AgRural, no Paraná, segundo maior produtor, chuvas registradas nesta semana “colocaram freio ao avanço das colheitadeiras”. Por lá, apenas 5 por cento da área foi colhida, contra 20 por cento há um ano e 23 por cento na média recente.

Há atrasos também em Mato Grosso do Sul, que colheu 16 por cento da safra, “mas como o plantio foi bastante concentrado devido ao atraso inicial, muita soja estará pronta para colheita nas próximas semanas”.

“Isso deve dar fôlego extra ao avanço dos trabalhos, desde que o clima permita. O mesmo vale para o Paraná”, comentou a consultoria.

Segundo a AgRural, há colheita também em Goiás, Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Tocantins, Pará e Rondônia. Parte da fronteira agrícola Matopiba e o Rio Grande do Sul ainda não iniciaram os trabalhos.

MILHO

Em relação ao milho de 1ª safra, a AgRural destacou que a colheita no centro-sul —a consultoria não considera Norte/Nordeste— estava em 15 por cento até quinta-feira, ante 14 por cento no ano passado e 16 por cento na média de cinco anos.

Já o milho de 2º safra, o “safrinha”, plantado logo após a colheita de soja, havia sido semeado em 26 por cento da área total estimada para o centro-sul do Brasil, ante 31 por cento na média de cinco anos e 36 por cento no ano passado, refletindo o ritmo lento nos trabalhos de retirada da oleaginosa.

Mato Grosso lidera, com 48 por cento, mas há muito atraso no Paraná, onde apenas 9 por cento da área está plantada —muito atrás dos 33 por cento da média de cinco anos.

“Caso o plantio não deslanche na segunda quinzena de fevereiro, a queda na área de milho safrinha do Paraná, estimada pela AgRural em 8,4 por cento, poderá se ampliar. Para o centro-sul, a expectativa de redução de área é de 4,6 por cento”, concluiu a consultoria.

Por José Roberto Gomes

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below