February 18, 2018 / 5:58 PM / 6 months ago

Nippon Steel se preocupa com medidas dos EUA, valorização do iene

TÓQUIO (Reuters) - A Nippon Steel & Sumitomo Metal Corp, a maior siderúrgica do Japão, está preocupada que possíveis medidas protecionistas dos EUA para reduzir as importações de aço possam inundar a Ásia com produtos e que a recente valorização do iene possa prejudicar seus clientes, como as montadoras.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse no início da semana passada que estava considerando uma série de opções - incluindo tarifas e cotas - para controlar as importações de aço e alumínio que ele disse estarem prejudicando os produtores dos EUA.

“Se alguma medida vier, afrouxará os mercados de aço, enviando suprimentos de volta para a Ásia, já que não há outro lugar para eles”, disse Toshiharu Sakae, vice-presidente executivo da Nippon Steel, à Reuters em entrevista na semana passada.

“Isso seria negativo para nós”, disse.

A concorrente da Nippon Steel, JFE Holdings Inc., expressou temores semelhantes sobre possíveis medidas comerciais norte-americanas na semana passada.

“Qualquer ação dos EUA pode desencadear retaliação por outros países. O que é mais problemático é ver o mundo em direção ao protecionismo”, disse o presidente da JFE, Eiji Hayashida. 

Sakae disse que a indústria siderúrgica do Japão pedirá a Tóquio que informe Washington de que “nos opomos a essas medidas pois nós apoiamos o livre comércio”.

As siderúrgicas japonesas estão desfrutando das melhores condições de mercado em pelo menos três anos. Os preços do aço aumentaram com o crescimento da produção das montadoras, ao mesmo tempo em que as obras para as Olimpíadas de Tóquio 2020 estão a todo o vapor.

A Nippon Steel no início deste mês registrou um salto de 108% no lucro recorrente de abril e dezembro, liderado por demanda saudável e preços mais elevados para produtos siderúrgicos.

Mas o ônus do iene representa um novo risco, disse Sakae.

O iene registrou o maior aumento em 15 meses contra o dólar norte-americano na semana passada, em meio a preocupações de que os Estados Unidos possam seguir uma estratégia de dólar fraco e que os cortes de impostos e os gastos fiscais do governo Trump possam aumentar a inflação e corromper o valor do dólar.

O impacto direto do iene mais forte nos ganhos da Nippon Steel deve ser limitado, pois as perdas nas exportações podem ser compensadas ​​por menores custos de importação de matérias-primas, disse Sakae.

“Mas não podemos ignorá-lo porque nossos principais clientes são exportadores, como fabricantes de automóveis e fabricantes de máquinas de construção”, disse ele.

“O iene forte prejudicaria as exportações, vendas e lucros deles, o que também os tornaria negociadores mais duros sobre os preços do aço.”

A Nippon Steel e seus colegas têm tentado aumentar os preços dos produtos para lidar com os maiores custos de matérias-primas, como o carvão de coque, minério de ferro, zinco e manganês.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below