March 9, 2018 / 12:28 PM / 8 months ago

Futuros de aço e minério de ferro desabam na China após tarifas dos EUA

MANILA (Reuters) - Os futuros do aço na China caíram nesta sexta-feira para o menor patamar desde novembro, depois que as associações de aço e metais da China pediram que Pequim retalie os Estados Unidos quanto às tarifas impostas sobre importações de aço e alumínio.

As matérias-primas desses produtos, como minério de ferro e coque, desabaram cerca de 5 por cento.

Enquanto as remessas de aço da China representam uma pequena parcela das importações pelos EUA, qualquer ação de retaliação do gigante asiático e de outros países não seria um bom presságio para a economia global, dizem analistas.

O contrato mais ativo do vergalhão de aço na Bolsa de Xangai caiu 3,7 por cento, para 3.709 iuanes por tonelada.

Em paralelo, o contrato mais negociado do minério de ferro na Bolsa de Dalian recuou 5,2 por cento, para 483,50 iuanes por tonelada, após chegar a tocar 481 iuanes, menor nível desde 20 de novembro.

O minério de ferro para entrega no porto de Qingdao recuou 4,29 por cento, para 70,09 dólares por tonelada.

Grupos da indústria chinesa de aço e metais apelaram para que o governo “tome medidas firmes contra as importações de alguns produtos dos EUA” depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, estabeleceu uma tarifa de 25 por cento sobre o aço e de 10 por cento sobre o alumínio para combater as importações consideradas “baratas”, especialmente as da China.

Por José Roberto Gomes

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below