April 4, 2018 / 1:40 PM / 5 months ago

Dados de março devem mostrar desaceleração gradual na economia da China conforme riscos de guerra comercial crescem

PEQUIM (Reuters) - Espera-se que uma série de dados chineses nas próximas semanas mostre que a segunda maior economia do mundo desacelerou ligeiramente em março ante os primeiros dois meses do ano, com o principal risco para as perspectivas agora centradas em uma escalada da briga comercial entre China e os Estados Unidos.

Nesta quarta-feira, Pequim impôs tarifas adicionais sobre uma série de produtos norte-americanos em uma rápida ação de retaliação, depois que Washington aumentou as apostas no crescente confronto comercial, propondo tarifas extras de 25 por cento sobre 1.300 produtos chineses como tecnologia industrial e transporte.

Analistas temem que a disputa possa ter consequências econômicas prejudiciais, atingindo exportadores de ambas as nações e destruindo o crescimento global.

Economistas esperam que o crescimento da China desacelere para 6,5 por cento este ano, ante 6,9 por cento em 2017, devido à desaceleração do mercado imobiliário e ao aumento dos custos dos empréstimos.

Espera-se que o crescimento das exportações tenha enfraquecido para 10 por cento no mês passado, ante os 44,5 por cento de fevereiro, segundo pesquisa da Reuters com 31 economistas, enquanto o motor de importação da China pode ter acelerado em sinal de melhora na demanda doméstica.

Analistas atribuíram o recuo esperado das exportações em março a um ajuste sazonal para baixo depois que os números de janeiro a fevereiro ultrapassaram as expectativas, já que as empresas intensificaram os embarques antes do feriado do Ano Novo Lunar, em meados de fevereiro.

Um iuane forte também poderia ter pesado nas exportações. A moeda chinesa ganhou cerca de 3,7 por cento em relação ao dólar no primeiro trimestre deste ano.

Ainda assim, há potencial para as exportações de março surpreenderem positivamente.

“No geral, a demanda externa permaneceu forte no primeiro trimestre”, disse Lu Zhengwei, economista-chefe do Industrial Bank. “Com uma possível guerra comercial com os EUA se aproximando, os exportadores chineses podem fazer frente aos seus embarques no exterior antes que as tarifas dos EUA entrem em ação”.

O crescimento da produção industrial deve ter desacelerado para 6,2 por cento em março, apesar de as autoridades chinesas terem suspendido as restrições à poluição no inverno. Além disso, o crescimento do investimento em ativos fixos provavelmente diminuiu para 7,6 por cento no mês passado.

No entanto, espera-se que o consumo doméstico permaneça sólido, compensando parcialmente parte da queda em manufatura. As vendas no varejo cresceram 9,9 por cento em março.

Espera-se que a leitura ampla da inflação seja lenta e retroceda a um maior afrouxamento do crescimento econômico.

Os empréstimos do banco podem ter subido para 1,2 trilhões de iuanes (190,56 bilhões de dólares) em março, depois de uma queda em fevereiro, provavelmente atingida por uma restrição regulatória sobre atividades financeiras mais arriscadas, que alimentaram uma rápida acumulação de dívidas. Os bancos estenderam um recorde de 13,53 trilhões de iuanes em novos empréstimos no ano passado.

As reservas cambiais, por sua vez, provavelmente subiram no mês passado, com o fortalecimento do iuane, e os rígidos regulamentos desencorajaram as saídas de capital, depois de cair pela primeira vez em 13 meses em fevereiro.

Por Stella Qiu e Ryan Woo

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below