May 14, 2018 / 12:01 PM / 3 months ago

Trump diz que vai ajudar chinesa ZTE a "voltar aos negócios"

WASHINGTON/PEQUIM (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, prometeu ajudar a empresa chinesa ZTE Corp a “voltar aos negócios rapidamente”, depois que um bloqueio dos EUA fez a companhia asiática interromper suas operações.

REUTERS/Stringer

O anúncio inesperado de Trump no domingo marcou uma grande reviravolta, dada a posição dura de Washington sobre as práticas comerciais da China que colocou as duas maiores economias do mundo em rota para uma possível guerra comercial.

Fontes com conhecimento do assunto afirmaram que Pequim exigiu que a questão da ZTE fosse resolvida como pré-requisito para discussões comerciais mais amplas com os EUA.

“Empregos demais perdidos na China. O Departamento de Comércio foi instruído a resolver isso!”, escreveu Trump no Twitter, afirmando que ele e o presidente chinês, Xi Jinping, estavam trabalhando em uma solução para a ZTE.

O Departamento de Comércio dos EUA proibiu no mês passado companhias norte-americanas de venderem produtos para a ZTE por sete anos como punição depois que a companhia chinesa foi descoberta vendendo ilegalmente produtos dos EUA para o Irã e a Coreia do Norte, quebrando um acordo de 2017. A descoberta ocorreu durante uma investigação promovida pelo governo Barack Obama, antecessor de Trump.

A punição cortou o acesso da ZTE a importantes componentes como chips, fazendo a segunda maior fabricante de equipamentos para telecomunicações da China anunciar na semana passada a suspensão de suas principais operações.

Durante negociações comerciais no início deste mês, o vice-premiê da China, Liu He, afirmou ao secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, que a China não continuará com discussões bilaterais mais amplas a menos que Washington concorde em reduzir as sanções contra a ZTE, afirmaram duas fontes.

“A mensagem foi de termos de resolver a questão da ZTE antes de continuarmos com as negociações”, disse uma das fontes.

Ambas as fontes afirmaram que a China estava inclinada a aceitar em princípio importar mais produtos agrícolas dos EUA em troca de Washington reduzir as penalidades sobre a ZTE.

Em 2017, a ZTE pagou a 211 exportadores dos EUA 2,3 bilhões de dólares, afirmou um representante da companhia na sexta-feira.

O governo dos EUA lançou a investigação sobre a ZTE depois que a Reuters publicou em 2012 que a companhia tinha assinado contratos para envio de produtos de hardware e software avaliados em milhões de dólares para o Irã. A ZTE depende de empresas norte-americanas como Qualcomm, Intel e Google. Companhias dos EUA fornecem 25 a 30 por cento dos componentes usados nos produtos da ZTE, que incluem celulares e equipamentos para redes de telecomunicações.

Por Valerie Volcovic, Karen Freifield, Steve Holland, David Lawder, Chris Sanders e David Morgan em Washington; Michael Martina, Sue-Lin Wong e Matthew Miller em Pequim; e John Ruwitch em Xangai

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below