May 23, 2018 / 5:16 PM / a month ago

Petróleo, tensão comercial e incertezas políticas na Itália pressionam índices acionários europeus

Por Danilo Masoni e Helen Reid

MILÃO/LONDRES (Reuters) - Os mercados acionários europeus recuaram nesta quarta-feira uma vez que as negociações comerciais entre China e Estados Unidos estagnaram e a queda nos preços do petróleo freou os ganhos no setor de energia, enquanto a incerteza política na Itália continuou pressionando os bancos.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 1,16 por cento, a 1.539 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 1,1 por cento, a 393 pontos, a maior queda em dois meses, recuando da máxima de três meses e meio atingida na terça-feira.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sinalizou nesta quarta-feira uma nova direção nas negociações comerciais entre os EUA e a China, dizendo que o caminho atual parece “muito difícil” de ser concluído e que qualquer possível acordo precisa de “uma estrutura diferente”.

Contribuindo para o nervosismo dos investidores em relação ao comércio, dados mostraram que o crescimento econômico da zona do euro desacelerou muito mais do que o esperado em maio.

Enquanto isso, o índice da Itália FTSE MIB chegou ao nível mais baixo desde o início de abril com a retomada das vendas generalizadas entre os títulos do país e as ações de bancos italianos recuaram 1,7 por cento.

O índice caiu 4,5 por cento até o momento em maio e caminha para o seu pior mês em quase dois anos.

“A Itália continua no centro das atenções com seus acontecimentos políticos”, disse Alessandro Balsotti, gerente de portfólio da JCI Capital. “As escolhas do primeiro-ministro e do ministro da Economia e a criação real de um governo, em vez de novas eleições, serão os motores para os investidores em ativos italianos nas próximas semanas”.

No entanto, alguns investidores viram oportunidades de barganhar.

O Deutsche Bank disse nesta quarta-feira que as preocupações políticas podem oferecer uma oportunidade de comprar ações da maior empresa listada da Itália, a petroleira Eni.

Na Europa, o índice de energia, com melhor desempenho setorial até o momento no ano, caiu 3 por cento, conforme a possibilidade de maiores estoques nos EUA e maior produção da Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) provocava uma queda nos preços do combustível.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 1,13 por cento, a 7.788 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 1,47 por cento, a 12.976 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 1,32 por cento, a 5.565 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 1,31 por cento, a 22.911 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 1,12 por cento, a 10.025 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 1,51 por cento, a 5.700 pontos.

Por Danilo Masoni e Helen Reid

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below