September 18, 2018 / 5:59 PM / 3 months ago

UE investiga VW, BMW e Daimler por suposto conluio em caso de emissões

BRUXELAS (Reuters) - Autoridades antitruste da União Europeia estão investigando se as montadoras BMW, Daimler e Volkswagen conspiraram para restringir o lançamento de tecnologia de emissão limpa, em uma ação que pode resultar em pesadas multas para as empresas alemãs.

Comissária de concorrência da UE, Margrethe Vestager, dá entrevista em Bruxelas 24/07/ 2018. REUTERS/Francois Lenoir

A Comissão Europeia abriu uma investigação aprofundada nesta terça-feira, quase um ano após por ter realizado buscas nas companhias e dois anos depois de impor uma multa recorde de 2,93 bilhões de euros a um grupo de fabricantes de caminhões, incluindo a Daimler, por fixarem preços e atrasarem a adoção de tecnologia de motor mais limpo.

O órgão executivo da UE informou que o “círculo de cinco” —BMW, Daimler, VW, Audi e Porsche— realizou reuniões onde as montadoras podem ter feito conluio para limitar o desenvolvimento e o lançamento de alguns sistemas de controle de emissões para carros vendidos na Europa.

“Essas tecnologias visam tornar carros de passageiros menos prejudiciais ao meio ambiente. Se comprovado, esse conluio pode ter negado aos consumidores a oportunidade de comprar carros menos poluentes, apesar de a tecnologia estar disponível aos fabricantes”, afirmou a comissária europeia Margrethe Vestager.

A comissão informou que as tecnologias envolvidas eram sistemas seletivos de redução catalítica, que reduzem emissões de óxido nitrogênio de carros movidos a diesel, além de filtros de partículas que reduzem emissões de carros movidos a gasolina.

O órgão regulador da UE disse que as montadoras também discutiram outros problemas técnicos, como exigências comuns para autopeças e procedimentos de teste, mas não tem indicações suficientes de que essas reuniões eram anticompetitivas.

A comissão ainda afirmou que não há sinais de que as companhias coordenaram ilegalmente entre si o uso de dispositivos para fraudar testes regulatórios. A Volkswagen admitiu o uso do software ilegal em 2015, desencadeando um escândalo que custou à empresa mais de 27 bilhões de dólares em multas e penalidades.

A Volkswagen e a Daimler, que reivindicaram o status de denunciante para evitar multas, disseram que estavam cooperando com a Comissão. BMW disse que continuaria a apoiar a autoridade da UE.

As empresas podem enfrentar multas de até 10 por cento da receita global por descumprirem as regras da UE. A indústria automotiva nos últimos anos foi multada em bilhões de euros em todo mundo por fixar preços de várias autopeças.

(Por Jan Schwartz em Hamburgo e Maria Sheahan em Frankfurt)

((Tradução Redação São Paulo; 55 11 56447553))

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below