November 8, 2018 / 6:27 PM / 9 days ago

Encontro nesta quarta-feira é o último sem entrevista do chair do Fed

O atual chair do Fed, Jerome H. Powell, durante sua sabatina para o cargo no Senado dos EUA. 22/06/2017. REUTERS/Joshua Roberts

SAN FRANCISCO (Reuters) - Essa semana marca a última vez que os membros votantes de política monetária do Federal Reserve vão definir as taxas de juros em uma reunião regular sem uma longa entrevista coletiva do chefe do banco central dos EUA para explicar e talvez defender a decisão.

A partir do próximo ano, o chair do Fed, Jerome Powell, vai conceder entrevista coletiva depois de cada uma das oito reuniões da instituição. Já estava prevista uma entrevista coletiva depois do encontro de dezembro, uma das quatro que o chair do Fed fazia todo ano, desde a primeira de Ben Bernanke em abril de 2011.

A mudança abre as portas para maior transparência, mas também menos previsibilidade. Nos sete anos desde a decisão de Bernanke de dar a primeira entrevista, os mercados passaram a esperar mudanças na política monetária somente nos quatro encontros anuais que previam realização de entrevista, apesar da insistência de integrantes do Fed de que todo encontro era “vivo” (para se definir uma alterações nos juros).

Agora, todo encontro será vivo. O Fed atualmente sinaliza que está próximo do momento em que as taxas de juros ficarão próximas do nível neutro, num cenário em que há probabilidade de o Fed tanto cortar quanto aumentar os juros.

Manter entrevistas coletivas em todo encontro é uma extensão de anos de maior transparência no Fed, que há algumas décadas sequer divulgava um comunicado para descrever sua decisão de juros, contando em vez disso com operadores inferindo a taxa a partir da atuação do banco central nos mercados abertos.

Lá atrás, os operadores observavam o tamanho da maleta do chair do Fed, Alan Greenspan, buscando pistas sobre se o Fed elevaria os juros. Em 1994, o Fed divulgou seu primeiro comunicado pós-reunião com menos de 100 palavras; ao longo dos anos, ele expandiu o texto até o formato atingido no auge do pós-crise com mais de 900 palavras.

(Como o Fed se comunicou ao longo dos anos [em inglês]: tmsnrt.rs/2QpUvcR)

Sob a gestão de Janet Yellen, o Fed começou a reduzir dramaticamente seus comunicados, uma tendência que continua sob Powell desde que ele tomou posse no início deste ano.

Agora, ele deve acrescentar mais palavras de explicação para cada decisão de juros do Fed, na forma de uma coletiva de imprensa ao final da reunião. Nesta semana, no entanto, aproveite o silêncio.

Reportagem adicional de Howard Schneider

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below