November 12, 2018 / 4:44 PM / a month ago

DSM abrirá fábrica de mistura para ração no Peru e projeta crescimento na América Latina

SÃO PAULO (Reuters) - A divisão de nutrição e saúde animal da multinacional Royal DSM vai inaugurar no próximo dia 21 uma fabrica de pré-misturas para ração animal no Peru como parte de sua planejada expansão na América Latina, que prevê crescimento nos próximos anos em países como Brasil, México, Argentina e Paraguai, disse à Reuters o executivo da empresa para a região.

Logo da DSM em sede da empresa 30/08/2018 REUTERS/Piroschka van de Wouw

No Brasil, por exemplo, a companhia com sede na Holanda prevê abrir no próximo ano, em Mairinque (SP), seu primeiro centro de inovação no país, apostando na crescente demanda do setor produtivo de carnes por ingredientes como vitaminas, minerais e enzimas que ajudam no aumento da produtividade de aves, suínos, bovinos e peixes.

De olho numa expectativa de alta de 3 por cento ao ano no mercado de alimentação animal no mundo, que tem atraído companhias de peso como a Cargill, a DSM quer “expandir” no México, focar nos mercados de nutrição de aves, suínos e aquacultura no Brasil, pecuária bovina no Paraguai e avicultura na Argentina, além da América Central, afirmou à Reuters o vice-presidente de Nutrição e Saúde Animal da DSM para América Latina, Augusto José Adami.

“Na América Latina, especificamente no Brasil, a DSM não está correndo uma corrida de 100 metros, e sim uma maratona. É o principal mercado que vai ajudar a alimentar o mundo no futuro...”, disse Adami.

“É um mercado que vai crescer e estamos investindo para capturar as oportunidades”, afirmou ele, ressaltando que no Brasil, maior exportador global de carnes de frango e bovina, “a indústria e a ciência estão conectadas”.

A companhia projeta investimentos de cerca de 260 milhões de reais em até três anos na América Latina, montantes que já incluem a nova unidade do Peru, na cidade de Lurín, que vai duplicar a capacidade de produção no país, além do centro de inovação no Brasil —o executivo não detalhou os aportes.

Com o investimento no Peru, que está entre aqueles mercados com maior consumo de carne de frango per capita da região, a DSM passa a ter quase 50 unidades produtoras de premix no mundo, sendo 11 na América Latina e três no Brasil, incluindo a Tortuga, líder em suplementos nutricionais para gado.

O Brasil responde por mais da metade do faturamento da DSM Latam, de mais de 1 bilhão de euros em 2017, enquanto o México também é importante nos ganhos na América Latina, que representa 12 por cento do faturamento global da companhia.

Em um mundo cada vez mais carente de recursos naturais, as tecnologias da DSM visam elevar a produtividade da agropecuária, com foco na sustentabilidade.

“Procuramos não só com o premix, mas também com outros aditivos ofertados ao mercado... focar em maior produtividade com menor volume de recursos.... com isso, consome menos grãos, menos água, gera uma cadeia de sustentabilidade”, comentou o executivo.

Ele lembrou que, no caso do mercado de gado, a tendência é cada vez maior de uma pecuária mais intensiva. E produtos premix, utilizados para reforçar a ração, passam a ter papel cada dia mais importante.

A companhia também atua na produção de ingredientes para as indústrias de alimentos e farmacêuticas, obtendo faturamento de 8,63 bilhões de euros no mundo em 2017.

Por Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below