November 13, 2018 / 11:41 AM / a month ago

Zona do euro pondera ação para conter contágio da Itália para o mercado, diz economista-chefe do BCE

LONDRES (Reuters) - Autoridades da zona do euro discutiram a possibilidade de usar o fundo de resgate do bloco para conter qualquer contágio dos problemas de dívida da Itália a outros países endividados, disse o economista-chefe do Banco Central Europeu (BCE).

Imagem ilustrativa de moedas de euro 16/09/2017 REUTERS/Leonhard Foeger

Os custos de empréstimos da Itália aumentaram desde que o governo italiano propôs um plano orçamentário que prevê um aumento do seu déficit, colocando o país em uma disputa com a Comissão Europeia sobre as regras orçamentárias e alimentando temores de uma nova crise da dívida na zona do euro.

Peter Praet, do BCE, disse que isso estava começando a ter algum efeito sobre o financiamento na Grécia e que as autoridades da zona do euro estavam considerando o uso do Mecanismo Europeu de Estabilidade se houver mais contágio.

“Há uma discussão, que é a nível político, sobre medidas cautelares que poderíamos tomar se houvesse um contágio para (outros) países”, disse Praet em uma audiência em Londres nesta terça-feira.

“(Estas) não são medidas do banco central. Isso está relacionado ao Mecanismo Europeu de Estabilidade e aos países ... tendo repercussões em alguns eventos externos”.

Investidores vêm tentando avaliar se condições de financiamento mais restritivas na Itália poderiam inviabilizar os planos do BCE de parar seu plano de emissão de 2,6 trilhões de euros de títulos no final deste ano e aumentar as taxas de juros em algum momento após o próximo verão (no hemisfério norte).

Mas Praet disse que era um trabalho do governo manter seus bancos ao seu lado.

“Outros fatores, como os fundamentos econômicos e a credibilidade dos emissores, avaliados pelos participantes do mercado, continuam sendo os principais determinantes dos níveis de rendimento e spreads dos títulos”, disse ele.

Ele também apoiou as expectativas dos analistas para o primeiro aumento das taxas de juros do BCE desde 2011 para o final do próximo ano e previu rendimentos de títulos de longo prazo mais altos à medida que a carteira do banco central envelheceu e seu efeito no mercado diminuiu.

Mas ele alertou que a política do BCE continuará previsível e só será reforçada gradualmente.

“Nossa política permanecerá previsível e prosseguiremos em ritmo gradual, o que for mais apropriado para a convergência da inflação se consolidar”, disse Praet.

(Por Marc Jones)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447509))

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below