December 23, 2018 / 1:34 PM / 9 months ago

Opep e aliados terão reunião extra se cortes não forem suficientes, dizem Emirados Árabes

KUWEIT (Reuters) - A Opep e produtores de petróleo aliados estão prontos para realizar uma reunião extraordinária e farão o que for necessário se o atual corte de 1,2 milhão de barris por dia (bpd) na produção de petróleo não equilibrar o mercado no ano que vem, disse o ministro da Energia dos Emirados Árabes Unidos neste domingo.

A prorrogação do acordo de produção assinado no início de dezembro não será um problema e os produtores farão o que o mercado exigir, disse Suhail al-Mazrouei em uma coletiva de imprensa durante reunião da Organização dos Países Árabes Exportadores de Petróleo no Kuweit.

“E se os cortes de 1,2 milhão de barris não forem suficientes? Estou lhe dizendo que, se não for, vamos nos encontrar e ver o que é suficiente e vamos fazê-lo”, disse Mazrouei.

“O plano (de cortar a produção de petróleo) é bem estudado, mas, se não funcionar, sempre teremos o poder da Opep de convocar uma reunião extraordinária”, acrescentou.

“Se formos obrigados a estender (o acordo) por mais seis meses, nós o faremos ... posso garantir que uma prorrogação não será um problema.”

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados liderados pela Rússia concordaram no início deste mês em reduzir a produção de petróleo em um nível além do esperado pelo mercado.

Ainda assim, os preços do petróleo caíram na sexta-feira para o menor nível desde o terceiro trimestre de 2017, com o excesso de oferta global mantendo os compradores longe do mercado antes dos feriados nas próximas duas semanas.

O ministro dos Emirados Árabes Unidos disse que um comitê de monitoramento conjunto da Opep e de países não membros se reunirá em Baku no final de fevereiro ou início de março, já que os produtores pretendem devolver o mercado ao equilíbrio alcançado no verão de 2018.

Mazrouei fez seus comentários em uma coletiva de imprensa conjunta com os ministros da energia do Iraque e da Argélia, bem como o governador da Opep da Arábia Saudita, Adeeb Al-Aama.

Al-Aama disse que o excesso de oferta do mercado de petróleo caiu para 37 milhões de barris em novembro, ante 340 milhões de barris em janeiro de 2017, quando a Opep e seus aliados começaram a cortar a produção na tentativa de elevar os preços.

O ministro do Petróleo iraquiano, Thamir Ghadhban, disse que há uma expectativa de que a decisão pelos cortes na produção de petróleo possa ser renovada, acrescentando que o Iraque estaria disposto a estender o acordo de produção em abril.

A Opep deve realizar sua próxima reunião para decisões sobre sua política de produção de petróleo em abril em Viena.

“Vamos observar os preços e como eles reagem com o tempo”, disse Ghadhban.

A Arábia Saudita está totalmente comprometida com o acordo de redução, disse Al-Aama, acrescentando que a produção do principal exportador mundial em janeiro deve ser de 10,2 milhões de bpd, abaixo da meta de produção de 10,3 milhões de bpd estabelecida para os sauditas no recente pacto.

O reino havia superado sua meta de corte anterior, com uma redução além do que seria sua fatia no acordo. Os cortes realizados pelos sauditas foram equivalentes a 120 por cento de sua meta entre janeiro de 2017 e maio de 2018, disse Al-Aama.

Escrito por Nafisa Eltahir e Rania El Gamal

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below