January 16, 2019 / 10:12 AM / 3 months ago

Justiça extingue ação de improbidade administrativa movida pela FUP contra CEO da Petrobras

Roberto Castello Branco, o novo CEO da Petrobras, durante a cerimônia de sua posse 03/01/2019 REUTERS/Sergio Moraes

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Justiça Federal no Rio de Janeiro extinguiu ação civil pública movida pela Federação Única dos Petroleiros (FUP) contra o presidente da Petrobras (PETR4.SA), Roberto Castello Branco, por improbidade administrativa, pela nomeação do capitão-tenente da reserva da Marinha Carlos Victor Nagem como novo gerente-executivo de Inteligência e Segurança Corporativa, segundo documento visto pela Reuters.

A indicação de Nagem, que ainda será submetida aos procedimentos de governança da companhia, foi anunciada por Jair Bolsonaro na semana passada, pelo Twitter, e causou grande repercussão por se tratar de um amigo do presidente.

Bolsonaro também publicou na rede social o currículo de Nagem, informando que ele é funcionário da Petrobras há 11 anos, dos quais seis atuando na área de segurança corporativa. Ele é administrador graduado pela Escola Naval e capitão-tenente da reserva da Marinha.

Segundo a FUP, que representa 12 sindicatos de petroleiros, Nagem não tem as qualificações exigidas pelo Plano de Cargos e Remuneração da estatal.

Por Marta Nogueira; edição de Aluísio Alves

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below