February 16, 2019 / 12:46 PM / 6 months ago

Montadoras se preparam para sobretaxas de até 25% sobre importados nos EUA

WASHINGTON (Reuters) - Um relatório confidencial do Departamento de Comércio, que deve ser enviado a Donald Trump no domingo, deve abrir caminho para que o presidente dos Estados Unidos ameace com tarifas alfandegárias e autopeças importadas ao designar as importações como uma ameaça à segurança nacional, afirmaram autoridades da indústria automobilística na sexta-feira.

Pátio com carros nos Estados Unidos. 28/3/2018. REUTERS/Lucy Nicholson -

    As recomendações do relatório podem aproximar a indústria automobilística global de seu pior pesadelo - tarifas de até 25 por cento sobre milhões de carros e peças importados que muitos temem custariam milhares de dólares ao valor de veículos e talvez causar centenas de milhares de empregos nos EUA.

    O conteúdo do relatório deverá permanecer não público enquanto Trump considera as recomendações, deixando a indústria e os principais exportadores de automóveis do Japão, da União Europeia e da Coréia do Sul no escuro sobre suas conseqüências.

    Autoridades da indústria automobilística disseram esperar que o relatório recomende ao menos algumas tarifas para que o governo possa usar as conclusões da investigação como alavanca de negociação durante negociações neste ano com o Japão e a UE.

    O relatório vem após investigação iniciada pelo Departamento de Comércio em maio de 2018 a pedido de Trump. O objetivo é determinar os efeitos das importações na segurança nacional.

    A versão final será enviada à Casa Branca no domingo para cumprir prazo estatutário, disse uma fonte do governo à Reuters.

    As montadoras e fornecedores de peças estão antecipando que suas opções de recomendação incluirão tarifas de até 20 a 25 por cento em carros e peças, ou tarifas mais restritas direcionadas a componentes e tecnologias ligados a carros novos, veículos autônomos, conectados à Internet e compartilhados.

    “Ninguém com quem conversei na indústria acha que o relatório não recomendará tarifas”, tendo em vista as prioridades comerciais definidas pelo governo Trump, disse um funcionário do setor automotivo sob condição de anonimato. “E não há muita chance de que Trump decida não impô-los.”

    Um relatório do respeitado Centro para Pesquisa Automotiva em, publicado na sexta-feira, mostrou que no pior cenário, uma tarifa de 25 por cento custaria 367 mil empregos nos EUA nas indústrias automobilísticas e afins.

    Os preços dos veículos leves nos Estados Unidos aumentariam em 2.750 dólares, em média, incluindo veículos construídos nos EUA - reduzindo as vendas anuais dos EUA em 1,3 milhão de unidades e forçando muitos consumidores ao mercado de carros usados, disse o relatório.

Reportagem de David Lawder e David Shepardson

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below