March 19, 2019 / 8:41 PM / in 3 months

Job vê moagem de cana até 1,4% menor em 2019/20 no CS, diz que chuva não ajudou

REUTERS/Paulo Whitaker

SÃO PAULO (Reuters) - A moagem de cana-de-açúcar na safra 2019/20 no centro-sul do Brasil, maior polo canavieiro do mundo, deve cair até 1,4 por cento ante 2018/19, conforme plantações envelhecidas e chuvas aquém do ideal impedem uma recuperação de produtividade, disse a JOB Economia nesta terça-feira.

Em sua primeira projeção para a nova temporada, que se inicia oficialmente em abril, a consultoria estimou o processamento de cana entre 562 milhões e 568 milhões de toneladas, após 570 milhões no ciclo vigente.

“A cana disponível para moagem não deve ser superior àquela da safra atual 2018/19. A chuva acumulada na safra foi abaixo da média e em nada colaborou para melhor produtividade da lavoura... Outra coisa é que o canavial continua envelhecendo”, afirmou o sócio-diretor da JOB, Julio Maria Borges, à Reuters.

Segundo ele, o mix de produção em 2019/20 “não deve ser muito diferente do atual”.

“A safra deve começar com forte viés alcooleiro no centro-sul. Pode ser que, dependendo da evolução dos preços ao longo da safra, o açúcar fique mais atrativo que o etanol. Neste caso o mix mudaria a favor do açúcar.”

Prevendo alocação de 37 por cento da oferta de cana para açúcar, a Job estima produção de 26,5 milhões a 27,5 milhões de toneladas do adoçante em 2019/20, ante 26,5 milhões em 2018/19.

No caso do etanol, a fabricação deve cair para algo entre 28 bilhões e 29 bilhões de litros, versus 30,5 bilhões no ciclo passado.

Por José Roberto Gomes

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below