March 19, 2019 / 8:41 PM / 6 months ago

PetroReconcavo negocia compra de campos em terra da Petrobras, dizem fontes

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A petroleira PetroReconcavo iniciou negociações diretas com a Petrobras pela compra de um conjunto de 34 campos de petróleo no Nordeste, disseram à Reuters duas fontes da indústria petrolífera.

06/02/2015 REUTERS/Paulo Whitaker

A Petrobras abriu negociações com a empresa, baseada em Salvador, após a 3R Petroleum não ter recebido financiamento para a compra dos campos por 453 milhões de dólares, que havia sido anunciada no final de novembro, afirmaram as fontes, que pediram anonimato por não estarem autorizadas a discutir assuntos internos.

As fontes apontaram que a oferta de 453 milhões de dólares foi considerada agressiva, e que a PetroReconcavo provavelmente oferecerá menos pelos campos, localizados no Estado do Rio Grande do Norte, em conjunto conhecido como Riacho da Forquilha.

A Petrobras não respondeu a pedidos por comentários, assim como Ricardo Savini, sócio da 3R Petroleum. Marcelo Magalhães, presidente-executivo da PetroReconcavo, não quis comentar.

Maior companhia do Brasil por capitalização, a Petrobras está em movimento agressivo de venda de ativos não essenciais, para reduzir sua elevada carga de dívidas e focar em produção e exploração em águas profundas.

Enquanto muita atenção é voltada a itens como o gasoduto TAG, que deve render bilhões de dólares à estatal, a empresa também avança com o desinvestimento em dezenas de campos de petróleo e gás em terra e águas rasas.

Ainda assim, as vendas de ativos enfrentam percalços frequentemente. Em janeiro, a Reuters reportou que a Petrobras recusou oferta de uma empresa apoiada pela EIG Energy Partners para compra de dois campos de petróleo em águas rasas.

As negociações com a PetroReconcavo foram inicialmente divulgadas pelo Upstream Online. A publicação ainda relatou que a Petrobras também entrou em negociações exclusivas com a petroleira independente PetroRio a respeito da venda de seu campo petrolífero de águas rasas de Baúna.

Em janeiro, a Reuters revelou que a PetroRio e a australiana Karoon Energy estavam entre as empresas a lançarem ofertas pelo campo. A brasileira Karavan, companhia de relação próxima com a Schlumberger NV, também firmou lance pela área, de acordo com pessoas familiarizadas ao assunto.

A PetroRio não respondeu a pedido por comentários.

Em documento interno do fim do ano passado, a PetroReconcavo disse que planejava um lance por múltiplos campos petrolíferos em terra da Petrobras, e que já havia submetido uma oferta por um conjunto de campos de gás conhecido como Miranga.

Riacho da Forquilha, um campo relativamente pequeno, produzia 8.748 barris por dia de petróleo e 332 mil metros cúbicos por dia de gás conforme dados do fim de 2016, segundo os últimos números públicos da Petrobras. Ainda assim, está entre os ativos de maior produção atualmente no bloco.

Reportagem de Gram Slattery; Reportagem adicional de Carolina Mandl em São Paulo

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below