March 25, 2019 / 8:43 PM / a month ago

Cemig tenta evitar fiscalização da Aneel sobre indicadores de distribuição de energia

SÃO PAULO (Reuters) - A mineira Cemig entrou com pedido de medida cautelar junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para tentar evitar uma fiscalização do regulador sobre os indicadores de continuidade do serviço de sua unidade de distribuição Cemig-D em 2018, segundo documento visto pela Reuters.

Linhas de transmissão de energia em São José da Barra (MG) 14/01/2013 REUTERS/Paulo Whitaker

O movimento vem após a agência aplicar multas de cerca de 27,5 milhões de reais à distribuidora, alegando interrupções no fornecimento que não teriam sido consideradas pela Cemig-D em seus índices sobre duração e frequência de falhas no suprimento (DEC e FEC) de 2016 e 2017.

A disputa em andamento entre Aneel e Cemig-D em torno da forma de cálculo dos índices é vital para o futuro da companhia, uma vez que a regulação prevê que distribuidoras que não atenderem patamares mínimos de qualidade por dois anos consecutivos poderão ser alvo de processo para extinção da concessão para prestação do serviço.

A Cemig-D é a maior distribuidora do Brasil em número de clientes, com 8,4 milhões de unidades consumidoras, seguida pela paulista Enel São Paulo (ex-Eletropaulo), com 7,2 milhões.

A elétrica mineira pretende que uma nova fiscalização sobre seus indicadores seja adiada ao menos até que a diretoria da Aneel se manifeste sobre recursos que apresentou contra as multas dos anos anteriores.

“É iminente que a realização de nova fiscalização somente agravaria a situação da Cemig-D, já que a penalizaria pela terceira vez em razão de um procedimento (forma de cálculo dos indicadores de continuidade) sobre o qual ainda não há manifestação da diretoria da Aneel”, apontou a elétrica, em carta assinada pelo escritório Décio Freire Advogados.

No documento, os advogados da Cemig também defendem que o caso é de “grande complexidade” e apontam que a elétrica está contratando estudo junto a uma consultoria especializada para defender a metodologia que utilizou no cálculo dos indicadores.

Procurada, a Cemig disse que não iria comentar. A Aneel não respondeu pedidos de comentário.

O cumprimento pelas distribuidoras de energia dos indicadores de qualidade referentes a 2017 será avaliado pela diretoria da Aneel em reunião semanal na terça-feira.

Na ocasião, a agência deve aplicar uma ressalva à Cemig, até que o processo de fiscalização sobre os indicadores da empresa transite “por todas instâncias administrativas”, segundo nota técnica disponibilizada pela Aneel.

A mesma ressalva deverá ser aplicada para outras distribuidoras que têm processos de fiscalização em andamento sobre os indicadores de 2017 —CEEE, Demei e Energisa Sul-Sudeste (ESS).

Por Luciano Costa

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below