March 26, 2019 / 9:35 PM / 23 days ago

Não há como sustentar modelo atual do BPC, diz Mourão a empresários

O vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, em Bogotá, Colômbia. 25/02/2019. REUTERS/Luisa Gonzalez.

SÃO PAULO (Reuters) - O vice-presidente Hamilton Mourão disse nesta terça-feira que o modelo atual do Benefício de Prestação Continuada (BPC) é insustentável e, embora tenha afirmado que será uma “briga” alterar o modelo no âmbito da reforma da Previdência, afirmou em palestra a empresários que este tema precisa ser enfrentado.

Em evento na Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Mourão disse que, pelo modelo atual, o idoso pode pode se aposentar recebendo um salário mínimo aos 65 anos, independente de ter contribuído com a Previdência, o que, para ele, inibiria a contribuição.

Mourão também disse aos empresários que o pacto firmado na Constituição de 1988 precisa ser revisto, especialmente no que diz respeito ao modelo orçamentário, e acrescentou que a população precisa compreender que também obrigações, e não apenas direitos.

As declarações de Mourão sobre o BPC vêm no mesmo dia em que líderes de 11 partidos assinaram uma nota em que se posicionam contra as mudanças no benefício e que estão no texto da reforma previdenciária.

Reportagem de Eduardo Simões

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below