April 3, 2019 / 1:06 PM / 18 days ago

Novos negócios sustentam crescimento, mas setor de serviços do Brasil volta a cortar empregos, aponta PMI

SÃO PAULO (Reuters) - A expansão do setor de serviços brasileiro acelerou em março, diante da forte entrada de novos trabalhos, embora as empresas tenham voltado a cortar empregos e o sentimento positivo tenha atingido uma mínima em três meses, segundo os dados da pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) divulgada nesta quarta-feira.

Cozinheiros finalizam pratos em restaurante 01/11/2017 REUTERS/Pilar Olivares

O IHS Markit informou que seu PMI de serviços do Brasil subiu a 52,7 em março, de 52,2 em fevereiro, permanecendo acima da marca de 50, que separa crescimento de contração, e igualando a máxima de janeiro de 2013.

Junto com a melhora no setor industrial, o PMI Composto do Brasil chegou a um pico em 13 meses, de 53,1 no mês, sobre 52,6 em fevereiro.

O mês de março foi marcado pela entrada mais forte de novos trabalhos em quase 11 anos e meio, com os entrevistados citando demanda doméstica robusta e base maior de clientes.

“Dados da pesquisa mostraram uma alta notável na entrada de novos trabalhos, o que sugere que a economia pode estar aquecendo”, apontou a economista do IHS Markit Pollyanna De Lima.

A demanda interna ajudou a compensar o enfraquecimento dos mercados internacionais, com o volume de novos negócios do exterior voltando a contrair em março depois de ter crescido em fevereiro pela segunda vez nos últimos quatro anos.

Também voltou a território de contração no mês o nível de empregos no setor de serviços, em meio a tentativas contínuas de reduzir despesas e iniciativas de reestruturação. Ainda assim, algumas empresas citaram contratação de pessoal devido ao aumento das cargas de trabalho e expectativas otimistas.

“É desalentador ver que os empregos no setor de serviços ainda estão em risco apesar da resiliente demanda doméstica... Reduzir a taxa de desemprego (brasileira)...parece ser uma peça essencial do quebra-cabeças para uma recuperação sustentável nos meses à frente”, completou Pollyanna.

A inflação de insumos, por sua vez, continuou a aumentar com os empresários do setor citando preços mais altos de eletricidade, combustíveis, alimentos e outros materiais.

Assim os preços cobrados voltaram a subir, chegando ao nível mais alto desde o início de 2016, depois de terem diminuído em fevereiro pela primeira vez em nove meses.

Mesmo assim, o sentimento positivo em relação aos negócios permaneceu elevado, mas caiu ligeiramente ante a máxima registrada em fevereiro. As projeções otimistas dos empresários se baseiam na expectativa de maior número de clientes, publicidade online e de reformas das políticas governamentais.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below