April 11, 2019 / 6:37 PM / in 2 months

Brasil exporta 13% menos suco de laranja no acumulado da atual safra, diz CitrusBR

SÃO PAULO (Reuters) - As exportações de suco de laranja do Brasil recuaram 13 por cento entre julho de 2018 e março de 2019 em comparação com igual período da safra anterior, informou nesta quinta-feira a associação de exportadores CitrusBR.

Caminhão é carregado com laranjas em Limeira (SP) 13/01/2012 REUTERS/Paulo Whitaker

De acordo com nota da associação, foram embarcadas no período 741.042 toneladas do produto concentrado, congelado, equivalente a 66º brix, contra 855.822 toneladas nos nove primeiros meses da temporada passada. O volume gerou receita de 1,3 bilhão de dólares, retração de 12 por cento.

“A tendência de redução tem se mantido em consonância com os fundamentos do mercado”, comentou o diretor-executivo da CitrusBR, Ibiapaba Netto.

Principal exportador de suco de laranja do mundo, o Brasil mantém a União Europeia como maior receptor de seu produto, com 478.098 toneladas enviadas ao bloco no período, queda de 7 por cento.

O mais acentuado recuo mencionado pela CitrusBR, entretanto, é o de embarques para os Estados Unidos, que caíram 26 por cento, para 167.831 toneladas.

Com o panorama, a esperança do grupo reside na China, que, de acordo com o diretor-executivo, teve avanço de 200 por cento em seu consumo interno nos últimos 15 anos.

“Temos grandes esperanças que as negociações lideradas pelo Ministério da Agricultura em relação a condições de acesso melhorem nossa competitividade e possamos crescer naquele mercado”, afirmou Netto no comunicado.

De julho a março desta temporada, porém, a importação do produto brasileiro pelo país asiático diminuiu 4 por cento em relação a 2017/18, para pouco mais de 25 mil toneladas.

Na divisão por variedades, a CitrusBR reporta redução substancial nas exportações da principal delas, o suco de laranja concentrado congelado (FCOJ), que totalizaram 524.018 toneladas, 19 por cento a menos que em 2017/18, marcando um recuo de 44 por cento somente nas vendas para os EUA.

A queda é levemente compensada por um aumento nas exportações do suco de laranja não-concentrado (NFC), menos comuns, que chegaram a 217.054 toneladas, alta de 6 por cento ante igual intervalo na safra anterior.

“O NFC é um produto mais nobre e que caiu no gosto do consumidor e isso é muito bom”, disse Netto.

Por Gabriel Araujo; Edição de José Roberto Gomes

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below