May 11, 2019 / 6:37 PM / in 2 months

Thyssenkrupp acorda reestruturação com líderes trabalhistas

DUESSELDORF (Reuters) - A administração e líderes dos trabalhadores da empresa alemã ThyssenKrupp concordaram em uma maneira de avançar nas conversas, depois que o conglomerado de indústrias ter anunciado uma reestruturação que pode levar à perda de 6.000 empregos.

O acordo foi alcançado em reuniões entre a administração e trabalhadores, invadindo a madrugada, reconhecendo a necessidade de ações radicais e assegurando um tratamento justo aos empregados do grupo baseado em Essen, disseram os dois lados.

O executivo-chefe Guido Kerkhoff anunciou a reestruturação na sexta-feira, com planos de separar os negócios em dois e abandonar uma fusão com a empresa indiana Tata Steel TISC.NS.

O grupo adotará uma estrutura de holding e planeja listar suas unidades de elevadores, a parte mais bem sucedida do seu negócio.

A decisão, publicada inicialmente pela Reuters, levou a uma recuperação de 28% em ações da ThyssenKrupp - seu maior ganho em um único dia -, enquanto Kerkhoff abandonou uma estrutura de participação acionária cruzada que não era mais viável financeiramente.

“Agora depende dos acionistas decidir se a ThyssenKrupp irá na direção de um futuro (viável) ou de um conflito”, disse Markus Grolms, segundo no comando do conselho de trabalhadores da ThyssenKrupp, que representa o sindicato de comércio industrial do IG Metal.

ThyssenKrupp afirmou em um comunicado que os dois comitês diretivos do seu conselho de supervisão apoiaram a nova estratégia, incluindo o acordo com líderes dos trabalhadores, e recomendou que ela fosse aprovada em uma reunião do conselho em 21 de maio.

“A nova estratégia do conselho executivo é fundamentalmente construir uma nova ThyssenKrupp”, disse a empresa.

Empresas do grupo receberiam liberdade para serem mais empreendedoras e flexíveis, acrescentou.

O acordo também recebeu o apoio do líder regional de Renânia do Norte-Vestfália, o estado indústria onde a ThyssenKrupp é baseada.

“A ThyssenKrupp está mostrando o verdadeiro significado de parceria social e co-determinação nos dias atuais”, disse o ministro-chefe Armin Laschet, depois de se reunir com Kerkhoff e Grolms.

“O conceito que a administração e os sindicatos apresentaram a mim é convincente. Oferece uma chance para o futuro da ThyssenKrupp e para empregos na Renânia do Norte-Vestfália”.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below