May 20, 2019 / 8:48 PM / in 4 months

Ibovespa sobe em meio a ajustes e com Previdência no radar

SÃO PAULO (Reuters) - As ações brasileiras tiveram um repique nesta segunda-feira, com investidores voltando à ponta compradora de papéis que caíram forte na semana passada, num movimento técnico, enquanto seguiram monitorando o noticiário sobre reforma da Previdência.

Painel na Bolsa de Valores de São Paulo 03/04/2019 REUTERS/Amanda Perobelli

Principal índice da bolsa paulista, o Ibovespa avançou 2,17%, a 91.946,19 pontos. O giro financeiro somou 23,4 bilhões de reais, impulsionado pelos 9,26 bilhões de reais do exercício de opções. Na semana passada, o índice acumulou queda de 4,5 por cento.

Para o estrategista chefe da consultoria independente de investimento Levante, Rafael Bevilacqua, mais do que uma mudança da perspectiva do investidor, o movimento desta sessão refletiu mais uma recuperação pontual, pautada pela busca por pechinchas.

“É um ajuste de posições. Os investidores perceberam que a queda acumulada foi exagerada e agora estão realizando ajustes, mas ainda permanecem de olho na Previdência”, afirmou.

Nesta segunda, o presidente da comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa a proposta de reforma da Previdência, Marcelo Ramos (PR-AM), disse que o governo do presidente Jair Bolsonaro é incapaz de formar maioria para aprovar a reforma.

No entanto, ele disse que o país não pode ficar refém dessa situação e que o Congresso vai liderar o processo da reforma, crucial para o equilíbrio das contas públicas.

A busca por barganhas pelos investidores ganhou força à tarde, após o fim do prazo para exercício de opções. O movimento foi tal que levou o Ibovespa na contramão de Wall Street, onde os três principais índices fecharam no vermelho, com as tensões comerciais entre Estados Unidos e China.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN subiu 3,4%, enquanto PETROBRAS ON valorizou-se 1,85%, diante da valorização dos contratos futuros do petróleo no exterior.

- ITAÚ UNIBANCO PN avançou 2,6%, enquanto BRADESCO PN ganhou 2,72%.

- EDP subiu 3,82%, após empresa anunciar que pretende avançar no cobiçado setor de serviços em energia do Brasil com uma nova marca, que reunirá diversas soluções da companhia para clientes residenciais e empresas —um cardápio que envolve desde instalações de geração solar e eficiência energética até seguros.

- VALE recuou 2,03%, em meio a incertezas sobre a segurança das barragens de rejeitos das mineradora, apesar da alta dos preços do minério de ferro na China. Na sexta-feira, a juíza Fernanda Machado, de Barão de Cocais (MG), decidiu elevar o teto da multa à Vale, atendendo pedido do Ministério Público, que disse que a mineradora não apresentou o estudo dos impactos para eventual rompimento da barragem Sul Superior.

- BRASKEM disparou 10,1%. O papel caiu cerca de 30% desde o início de abril, em meio a uma série de notícias negativas, incluindo deslistagem dos papéis em Nova York e de paralisação de operações de mineração em Alagoas.

Por Stefani Inouye e Aluísio Alves

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below