June 17, 2019 / 4:05 PM / 3 months ago

Brasil enviou energia para ajudar Uruguai e Argentina após blecaute no domingo

SÃO PAULO (Reuters) - Um enorme blecaute que atingiu a Argentina e grande parte do Uruguai no domingo não impactou o sistema elétrico interligado do Brasil, que ainda ajudou os dois países com envios de energia, segundo boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) nesta segunda-feira.

A ocorrência nos países vizinhos, que deixou dezenas de milhões de pessoas sem luz, muitas até o início da noite, fez com que o Brasil deixasse de promover envios de energia à Argentina a partir das 7h06 da manhã de domingo, apontou o documento do ONS.

De acordo com Informativo Preliminar Diário da Operação (IPDO) divulgado nesta segunda-feira, houve no momento da ocorrência um “bloqueio automático” das subestações conversoras Garabi I e Garabi II, que ficam na fronteira entre Brasil e Argentina.

Mais tarde, o Brasil foi chamado a ajudar os vizinhos com envios de eletricidade.

Entre 12h13 e 15h30, o Brasil enviou energia para o Uruguai por meio da subestação conversora de Rivera, na fronteira, por solicitação do DCU, unidade da elétrica local UTE que coordena a operação do sistema elétrico uruguaio.

O envio aconteceu “por solicitação do DCU para atendimento à Argentina”, segundo o ONS.

Entre 13h11 e 14h43 e entre 15h22 e 17h15, houve envios de energia por meio da subestação conversora Uruguaiana, também “por solicitação do DCU, em função de ocorrência no sistema uruguaio”.

O total exportado pelo Brasil para Argentina e Uruguai no domingo somou 281 megawatts médios, de acordo com o boletim do ONS, abaixo de uma estimativa inicial de envio de 417 megawatts médios no dia, devido ao blecaute.

Foram enviados 10 megawatts médios pela subestação Rivera e 2 megawatts por Uruguaiana, ante previsão anterior de que não haveria intercâmbio energético por essas unidades.

Já as estações Garabi I e Garabi 2 enviaram 57 megawatts e 212 megawatts, respectivamente, contra 417 megawatts projetados originalmente para envio pela unidade Garabi II.

As subestações conversoras mudam a frequência da energia para os intercâmbios, uma vez que a rede do Brasil opera em 60 hertz, contra 50 hertz de Uruguai, Argentina e Paraguai, que também teve partes de seu território impactadas pelo blecaute.

Uma fonte com conhecimento da operação do sistema elétrico disse à Reuters que o fato de os países operarem em frequências diferentes ajudou a impedir impactos no Brasil.

“Como as frequências são diferentes, as (subestações) conversoras fazem o papel de ‘bloqueio’ em perturbações que ocorram na hora em que possam estar havendo intercâmbios internacionais”, disse a fonte, que falou sob anonimato porque não tem autorização para falar com a imprensa.

A energia retornou gradualmente após o blecaute— no início da noite de domingo, quase 90% da Argentina já havia voltado à normalidade, assim como praticamente todo Uruguai e Paraguai.

Após o incidente, o presidente argentino Mauricio Macri afirmou que o apagão foi causado por uma falha na rede costeira do país, mas disse que as autoridades ainda estavam investigando o problema, prometendo uma apuração completa do que chamou de uma situação “sem precedentes”.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below