for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Conselho do BCE concordou em junho sobre necessidade de estar pronto para mais estímulo

FRANKFURT (Reuters) - As autoridades do Banco Central Europeu concordaram no mês passado sobre a necessidade de estarem prontos para fornecer mais estímulo à economia da zona do euro em um ambiente de “maior incerteza”, informou ata da reunião do BCE divulgada nesta quinta-feira.

Com uma guerra comercial entre Estados Unidos e China prejudicando os exportadores da zona do euro e com a expectativa de que o Federal Reserve reduza sua taxa de juros, o BCE está sendo pressionado para afrouxar sua própria política monetária novamente.

O Conselho do banco adiou qualquer aumento das taxas de juros por pelo menos um ano na reunião entre 5 e 6 de junho e o presidente Mario Draghi abriu a porta para mais estímulo nas semanas seguintes.

“Houve amplo consenso de que, diante do aumento da incerteza, que provavelmente se estenderá ainda mais no futuro, o Conselho do BCE precisa estar pronto e preparado para afrouxar ainda mais a postura da política monetária”, disse o BCE sobre o assunto em sua ata de reunião.

O banco também acrescentou que entre as medidas potenciais estão novas mudanças na orientação do BCE sobre os juros, novas aquisições de ativos e cortes nos juros.

A ata também mostrou que o BCE estava considerando movimentos “mais estratégicos” se a inflação permanecer baixa e que planeja enfatizar ficar acima ou abaixo da meta de inflação será tolerado.

Por Francesco Canepa

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up