August 15, 2019 / 1:34 PM / 10 days ago

Com exterior no radar, Ibovespa abandona alta e recua em dia cheio de balanços; JBS sobe

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa paulista perdia força nesta quinta-feira e voltava a trabalhar com o Ibovespa abaixo dos 100 mil pontos, em sessão volátil no exterior e com uma pauta doméstica carregada de resultados corporativos no final da temporada de balanços.

REUTERS/Amanda Perobelli

Às 11:53, o Ibovespa caía 0,48 %, a 99.771,85 pontos. Na máxima, mais cedo, chegou a subir a 101.014,41 pontos no melhor momento. O volume financeiro era de 6 bilhões de reais.

Na véspera, o Ibovespa fechou em queda de 2,9%, maior declínio desde 27 de março, em meio a preocupação com recessão global.

De acordo com o analista Régis Chinchila, da Terra Investimentos, investidores continuam bastante cautelosos com as notícias internacionais, particularmente em relação ao embate comercial EUA-China, o que explica a volatilidade no pregão.

Nesta sessão, o presidente norte-americano, Donald Trump, voltou a afirmar que qualquer acordo comercial com Pequim precisa ser segundo os termos dos EUA.

A declaração ocorre no momento em que o governo chinês se prepara para adotar contramedidas em resposta às mais recentes tarifas norte-americanas sobre 300 bilhões de dólares em produtos chineses, embora negociações permaneça no radar.

Em Wall Street, o S&P 500 subia 0,3%.

DESTAQUES

- JBS avançava 8,2%, após lucro líquido de 2,18 bilhões de reais no segundo trimestre, superando as expectativas dos analistas. Na máxima até o momento, as ações subiram a 30,43 reais, recorde intradia.

- NATURA subia 1,4%, um dia depois de divulgar que o lucro do segundo trimestre mais que dobrou sobre um ano antes, apoiado em vendas fortes em todos os segmentos e em esforços de controle de custos.

- ULTRAPAR caía 5,9%, uma vez que viu seu lucro cair praticamente à metade no segundo trimestre, refletindo a queda ou estagnação da receita de todas as suas principais linhas de negócios.

- SABESP recuava 5,9%, tendo como pano de fundo queda de 10,9% no resultado operacional medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado no segundo trimestre, para 1,2 bilhão de reais.

- VIA VAREJO cedia 1,5%, após fechar o segundo trimestre com prejuízo líquido de 154 milhões de reais no segundo trimestre, revertendo resultado positivo de 14 milhões registrado um ano antes.

- VALE perdia 1,5%, tendo de pano de fundo o declínio dos preços do minério de ferro na China, à medida que o aperto na oferta diminui, mas o esperado aumento da demanda pela China continua indefinido.

- PETROBRAS PN recuava 1,6%, na esteira dos preços do petróleo no mercado externo.

- ITAÚ UNIBANCO PN tinha pequenas variações e e BRADESCO PN cedia 0,5%, após fortes quedas na véspera, quando prevaleceu o viés negativo externo sobre as operações locais.

- OI ON, que não está no Ibovespa, caía 9%, após divulgar prejuízo líquido para o segundo trimestre na quarta-feira maior do que o esperado por analistas.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below