August 19, 2019 / 8:12 PM / 3 months ago

Dólar flerta com R$4,07 e bate máxima em 3 meses com dúvida sobre juros nos EUA

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar tornou a fechar em forte alta contra o real, para o maior nível em três meses, diante do fortalecimento global da divisa norte-americana em meio a mais dúvidas sobre novas quedas de juros nos Estados Unidos, movimento que poderia aumentar a oferta de moeda em países como o Brasil.

Cédulas de real e de dólar são mostradas numa casa de câmbio no Rio de Janeiro. 10/9/2015 photo illustration. REUTERS/Ricardo Moraes

O dólar à vista teve alta de 1,60%, a 4,0677 reais na venda, maior nível de fechamento desde 20 de maio (4,10485 reais na venda).

Na máxima intradiária, a cotação foi aos 4,0760 reais.

A próxima resistência a ser rompida é 4,1000 reais, seguida pela máxima de maio (4,10485 reais). Deixados para trás esses níveis, a moeda caminharia para picos registrados em setembro, quando a divisa chegou a flertar com 4,20 reais, em meio à forte volatilidade antes das eleições presidenciais no Brasil.

Os mercados de câmbio de emergentes não conseguiram captar o bom humor visto nesta segunda nos mercados de ações, com o índice S&P 500 em alta de 1,21%, na esteira de esperanças de estímulos em países como China e Alemanha.

Segundo analistas, as moedas foram mais afetadas pelos riscos associados à política monetária nos Estados Unidos, com chances de o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) cortar os juros menos que o esperado uma vez que a economia dos EUA segue em melhor forma do que outras.

“(Recentes) Dados robustos de consumo e inflação nos EUA enfraqueceram a possibilidade de que o Fed vai cortar os juros preventivamente, mantendo o tema sobre inversão das curvas de juros, saídas de recursos de emergentes e mercados de ações mais fracos”, disseram estrategistas do Morgan Stanley em nota a clientes.

O tom de dúvida sobre um Fed mais disposto a cortar os juros foi reforçado nesta tarde por comentários do presidente do Fed de Boston, Eric Rosengren, membro votante do Fomc.

Segundo Rosengren, não é porque outros países estão afrouxando suas políticas monetárias que os EUA também deveriam fazê-lo. Além disso, para ele, as condições monetárias já estão acomodatícias e a economia está em muito bom estado no momento.

Os mercados haviam golpeado o dólar entre meados de maio e de julho, confiantes na expectativa de que o Fed cortaria os juros de forma agressiva. Recentemente, o Fed reduziu a taxa básica, mas emitiu sinal mais “hawkish” que o esperado.

Desde 18 de julho, quando bateu a mínima recente (de 3,7293 reais), o dólar acumula valorização de 9,07%. O índice MSCI de moedas emergentes —que inclui uma série de divisas da Ásia, geralmente menos voláteis— recua cerca de 3,1% no período.

“Como de costume, o baixo apetite por ativos mais arriscados, como o real, continua a ser influenciado pela guerra comercial entre os Estados Unidos e a China e pelas crescentes preocupações com uma possível recessão global no horizonte”, disse Daniel Andrés Castaño, analista de mercado do IG, em Londres.

REAL BARATO?

O real acumula depreciação de 6,16% em agosto, o que deixa a moeda brasileira com a terceira maior queda entre mais de 30 pares do dólar neste mês, a despeito da aprovação da reforma da Previdência pela Câmara dos Deputados.

Para o Morgan Stanley, o real já está entre as moedas mais baratas do universo emergente. Os profissionais destacam ainda que as posições continuam amplamente negativas em relação à moeda doméstica, o que ao mesmo tempo piora a relação risco/retorno de se montar novas posições contrárias ao real.

“Ainda assim, preferimos expressar nossa visão (otimista) para o real ao confrontá-lo com outras divisas emergentes”, acrescentaram em nota.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below