August 28, 2019 / 8:43 PM / 3 months ago

Subsídios da Índia ao açúcar ferem livre concorrência e distorcem preços, diz Unica

Agricultor trabalha em canavial em Pune, Índia 11/10/2018 REUTERS/Rajendra Jadhav

SÃO PAULO (Reuters) - O novo programa de subsídios à exportação de açúcar da Índia fere a livre concorrência no mercado global do adoçante e significa mais um ciclo internacional de preços distorcidos artificialmente, afirmou nesta quarta-feira a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica).

Em nota, a entidade disse que a estratégia indiana preocupa todos os países produtores e exportadores de açúcar, tendo sido responsável por um prejuízo de mais de 1,2 bilhão de dólares aos agricultores brasileiros apenas na última safra, segundo suas estimativas.

“A política indiana é insustentável no longo prazo e é preciso que o governo local reveja sua estratégia para a cana-de-açúcar”, disse o presidente da Unica, Evandro Gussi, acrescentando que o Brasil pode ser um parceiro da Índia na adoção do etanol como forma de redução do superávit produtivo do adoçante.

A Índia aprovou nesta quarta-feira subsídios para incentivar as usinas do país a exportarem até 6 milhões de toneladas de açúcar na temporada de comercialização de 2019/20, que começa em outubro, com um aporte de 10.448 rúpias (146,14 dólares) por tonelada.

Neste mês, a Organização Mundial do Comércio (OMC) abriu painéis para julgar reclamações de Brasil, Austrália e Guatemala contra os subsídios indianos para açúcar e cana.

Por Gabriel Araujo

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below