for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Proposta do setor de combustível para biodiesel afeta produção de farelo de soja, diz Abiove

Caminhão carregado com soja após colheita em Primavera do Leste (MT) 29/01/2013 REUTERS/Paulo Whitaker

SÃO PAULO (Reuters) - Um movimento de distribuidoras de combustíveis do país visando reduzir o volume mínimo contratual para retiradas de biodiesel nas usinas, devido à menor demanda por medidas contra o coronavírus, pode afetar produção de farelo de soja do Brasil, afirmou em nota nesta quarta-feira a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove).

Segundo a associação, uma redução da produção de biodiesel, que se daria na esteira da medida proposta por distribuidoras de combustíveis, pode comprometer parte da fabricação de 2,7 milhões de toneladas de farelo projetada para maio e junho.

Cerca de 75% do biodiesel do país é feito a partir do óleo de soja, obtido pelo processamento da oleaginosa, que resulta também em farelo de soja, matéria-prima essencial para a produção de ração para a indústria de carnes.

A Abiove disse ainda, em nota, que vê com “bastante preocupação as investidas do setor de distribuição de combustíveis para reduzir a retirada mínima do valor adquirido em leilão do patamar atual de 95% para 70%”.

“As distribuidoras esperam que com a medida os produtores de biodiesel produzam todo o volume comprado no leilão, mas abrem si mesmas a flexibilidade de retirar apenas 70% desse volume”, comentou.

Por Roberto Samora

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up