April 13, 2020 / 12:42 PM / in a month

'Força da natureza", Georgieva lidera FMI através de tempestade do coronavírus

WASHINGTON (Reuters) - A economista búlgara Kristalina Georgieva está emergindo como uma voz poderosa para os pobres, à medida que a pandemia de coronavírus que mergulhou o mundo em recessão ameaça levar os países em desenvolvimento ao caos.

Kristalina Georgieva, chefe do FMI 05/02/2020 REUTERS/Remo Casilli/File Photo

A chefe do Fundo Monetário Internacional cresceu atrás da “Cortina de Ferro” da União Soviética, e frequentemente se lembra de como era doloroso ver as economias da vida de sua mãe desaparecerem da noite para o dia durante a crise cambial dos anos 1990.

Ela tem sido franca sobre a necessidade de poupar os países mais pobres do mundo, que representam um quarto da população mundial, de uma situação similar.

O impacto do coronavírus é amplificado nos mercados emergentes devido às condições de aglomeração, queda dos preços das commodities e fuga maciça de capital.

Juntamente com seu ex-chefe, o presidente do Banco Mundial, David Malpass, e a Organização Mundial da Saúde, Georgieva está pressionando a China, os Estados Unidos e outros países do Grupo dos 20 a suspender temporariamente cerca de 14 bilhões de dólares em pagamentos de dívida dos países mais pobres com vencimento até o final do ano.

“Estes são os momentos para os quais o FMI foi criado — estamos aqui para mobilizar a força da comunidade global, para que possamos ajudar a proteger as pessoas mais vulneráveis e revitalizar a economia”, disse ela em discurso na quinta-feira, antes das reuniões de primavera do FMI e do Banco Mundial na próxima semana. “Eles precisam urgentemente de ajuda.”

Georgieva, que assumiu o cargo de diretora-gerente em outubro de 2019, é a primeira pessoa de uma economia de mercado emergente a administrar o FMI, que foi formado para reverter os efeitos debilitantes do nacionalismo econômico após a Grande Depressão.

Descrita pelos colegas como uma “força da natureza”, “implacável” e “máquina”, o gerenciamento de crises por Georgieva tem sido feito através de selfies em vídeo para funcionários e telefonemas à meia-noite com líderes do governo.

Ela alertou sobre os perigos do surto desde que este ainda estava amplamente limitado à China, dizendo a centenas de autoridades na Conferência de Segurança de Munique, em meados de fevereiro: “Temos que orar pelo melhor e nos preparar para o pior.”

Na semana passada, Georgieva emitiu outro aviso. “Não há dúvida de que 2020 será excepcionalmente difícil”, disse ela. As coisas podem piorar ainda mais em 2021, acrescentou, dependendo de que ações os países ricos adotarem agora.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below