April 22, 2020 / 1:44 PM / in a month

Vendas de cerveja da Heineken caem em meio a paralisações

Vista externa da unidade da Heineken. 3/4/2020. REUTERS/Daniel Becerril

BRUXELAS (Reuters) - A Heineken, segunda maior cervejaria do mundo, teve recuo de 14% nas vendas de cervejas em março, com quedas acentuadas em todas as regiões, conforme a pandemia de Covid-19 mantém bares e restaurantes fechados em todo o mundo.

Em alguns países, como na África do Sul, a cervejaria holandesa foi forçada a interromper a produção. Na França, Itália e Espanha, o aumento das vendas de cervejas em lojas não compensou a queda das vendas em bares.

O lucro líquido da cervejaria no primeiro trimestre caiu 68%, para 94 milhões de euros.

Os volumes de cerveja caíram 2,1% no trimestre, enquanto os volumes totais, incluindo sidra e refrigerantes, caíram 3,9%, confirmando as previsões que a empresa fez há duas semanas.

O segundo trimestre será pior, disse a Heineken, com o impacto também atingindo o segundo semestre, uma vez que mesmo com o fim das paralisações, o impacto na economia persiste.

A Heineken acrescentou que pagará o dividendo de 2019, mas não os dividendos provisórios do primeiro semestre, após a divulgação do balanço em agosto. No ano passado, o dividendo provisório foi de 0,64 euro por ação.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below