for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Alta de preços desacelera no Japão em março e provoca temores de deflação

Consumidor seleciona produtos em supermercado de Tóquio, Japão 26/02/2015 REUTERS/Yuya Shino

TÓQUIO (Reuters) - O núcleo da inflação ao consumidor do Japão enfraqueceu em março pelo segundo mês seguido, destacando os temores de que a queda nos custos do petróleo e a redução do consumo por causa do coronavírus levem o país de volta à deflação.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira pouco antes do início na segunda-feira da reunião de política monetária do Banco do Japão. Fontes disseram à Reuters que o banco central vai cortar com força suas estimativas de crescimento e adotar mais medidas para aliviar o aperto de financiamento às empresas afetadas pela pandemia.

O núcleo do índice de preços ao consumidor, que inclui produtos de petróleo mas exclui os voláteis preços dos alimentos frescos, subiu 0,4% no ano até março, mostraram dados do governo, igualando a expectativa do mercado. Em fevereiro, o índice havia avançado 0,6%.

O Japão sofreu quase duas décadas de deflação --ou períodos sustentados de declínios de preços --até 2013, quando a economia ressurgiu graças em parte às políticas de estímulo do primeiro-ministro Shinzo Abe.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up