for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Exportações brasileiras de soja para China caem em março

PEQUIM (Reuters) - As importações de soja do Brasil feitas pela China em março caíram 24,8% em relação ao mesmo mês do ano passado, mostraram dados alfandegários publicados neste domingo, depois que as chuvas atrasaram os embarques.

A China, maior comprador de soja do mundo, importou 2,1 milhões de toneladas de soja do Brasil em março, ante 2,79 milhões de toneladas no mesmo período do ano passado, mostraram dados da Administração Geral de Alfândegas.

As chuvas no Brasil no final de fevereiro atrasaram a colheita e a exportação da commodity, levando a baixos estoques recordes de soja e farelo de soja na China. Algumas trituradoras de soja foram forçadas a restringir as operações devido à escassez de oferta.

Os compradores chineses também compraram menos cargas para março porque estavam esperando a desaceleração típica da demanda observada após o feriado do Festival da Primavera.

No entanto, os embarques dos Estados Unidos atingiram 1,71 milhão de toneladas em março, ante 1,51 milhão de toneladas do ano passado.

As importações totais de soja da China em março caíram 13% em relação ao mesmo mês do ano passado, atingindo o menor nível em mais de cinco anos, de acordo com dados alfandegários na publicados na terça-feira.

A China importa soja para triturar em farelo de soja para alimentar o setor pecuário e para preparo de óleo de cozinha.

Os embarques de soja para a China em abril e nos próximos meses devem aumentar à medida que as condições climáticas melhorarem no Brasil e as cargas reservadas dos Estados Unidos sob o acordo comercial da Fase 1 chegarem.

A China comprou mais cargas de soja dos EUA na terça-feira e planeja aumentar suas reservas estaduais com as colheitas dos EUA.

Reportagem de Hallie Gu e Shivani Singh

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up