for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Pedidos de empréstimo a fintech disparam no 1º semestre

15/10/2010. REUTERS/Bruno Domingos

SÃO PAULO (Reuters) - A demanda por crédito registrada no primeiro semestre pela fintech IOUU, focada em conectar investidores a empresas de pequeno porte, disparou quase 300% em relação ao mesmo período do ano passado, incentivada pelo recuo de bancos tradicionais temerosos de impactos das medidas de quarentena sobre a inadimplência.

A companhia, criada em março de 2018, registrou 6.784 solicitações de crédito nos primeiros seis meses deste ano, crescimento de 287,94% sobre a primeira metade de 2019. Os pedidos corresponderam a mais de 452 milhões de reais. Como referência do movimento, desde a fundação, a IOUU registra um volume de solicitações de empréstimos de mais de 1,5 bilhão de reais.

“A retração do mercado gerou 100% de aumento na demanda...não alteramos as taxas de juros e controlamos a inadimplência por meio da renegociação de créditos concedidos. Por exemplo, carência de 90 dias ou o tomador só paga no final, de uma só vez”, disse o presidente-executivo da fintech, Bruno Sayão, em comunicado.

A empresa não informou o montante de crédito concedido no primeiro semestre.

A plataforma se propõe a conectar investidores com tomadores de crédito, em um modelo conhecido como “peer to peer”. Segundo a empresa, para atender a demanda do período e potencializar os processos de captação, o tíquete médio das operações, de 70 mil reais foi reduzido para 50 mil.

“Contabilizamos 2.162 novos investidores na plataforma no primeiro semestre. Mesmo com a crise, esperamos dobrar o número de parceiros de crédito até o final do ano”, disse Sayão, acrescentando que a empresa fechou parcerias com o BNDES e que dobrou para 40 o número de funcionários. A companhia tem cerca de 12 mil investidores cadastrados na plataforma.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up