for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Ibovespa recua com tensão externa

REUTERS/Paulo Whitaker

SÃO PAULO (Reuters) - O tom negativo prevalecia na bolsa paulista na manhã desta sexta-feira, contaminada pelo aumento da tensão nas relações entre Estados Unidos e China, enquanto, no Brasil, o Senado aprovou teto para juros de cartão de crédito e cheque especial.

Às 10:22, o Ibovespa caía 1,1%, a 102.976,44 pontos.

No exterior, os EUA proibiriam os aplicativos chineses de mensagens WeChat e de compartilhamento de vídeo TikTok, aumentando um confronto com Pequim sobre o futuro da indústria global de tecnologia.

A China disse que as empresas do país cumprem as leis e regulamentações norte-americanas e alertou que os EUA teriam de “arcar com as consequências” de sua ação.

Em Nova York, o mini contrato futuro do S&P 500 perdia 0,5%, tendo como contrapeso um relatório do mercado de trabalho norte-americano, com criação de vaga acima do esperado em julho e queda na taxa de desemprego.

Ainda da pauta externa, as exportações chinesas em julho tiveram a maior alta do ano, enquanto algumas importações de matérias-primas atingiram máximas recordes.

No Brasil, o projeto aprovado no Senado, entre outras medidas, limita os juros para o crédito rotativo do cartão de crédito e todas as demais modalidades de crédito ofertadas por meio de cartões de crédito e da linha de crédito do cheque especial a 30% ao ano durante o estado de calamidade pública. O texto segue para a Câmara dos Deputados.

Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em

Por Paula Arend Laier, edição Alberto Alerigi Jr.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up