for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Iraque promete cortes adicionais na produção de petróleo em agosto e setembro

Ihsan Abdul Jabbar, ministro do Petróleo do Iraque 30/10/2017 REUTERS/Mohamed Azakir

DUBAI (Reuters) - O Iraque disse nesta sexta-feira que vai reduzir sua produção de petróleo em mais 400 mil barris por dia (bpd) nos meses de agosto e setembro, para compensar pelo excesso de bombeamento nos últimos três meses.

O ministro do Petróleo do país, Ihsan Abdul Jabbar, disse em comunicado conjunto com o ministro saudita do setor, príncipe Abdulaziz bin Salman, que o novo corte de produção do Iraque soma-se à redução de 850 mil bpd com a qual o país havia se comprometido em acordo da Opep+ para agosto e setembro.

Dessa forma, a redução total de produção de petróleo no Iraque será de 1,25 milhão de bpd em cada um dos dois meses.

“A redução poderá ser ajustada quando as seis fontes secundárias publicarem seus relatórios de produção”, disse o comunicado, referindo-se a entidades que fornecem dados sobre a indústria petrolífera, como a Agência Internacional de Energia.

Os dois ministros reforçaram total compromisso com o acordo da Opep+ para restringir a oferta de petróleo.

Abdul Jabbar confirmou que o Iraque está comprometido com o acordo, acrescentando que o país atingirá 100% de conformidade com o pacto no início de agosto.

Os ministros discutiram por telefone as últimas informações sobre o mercado do petróleo, a recuperação contínua na demanda global e o progresso na implementação do acordo da Opep+.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados, que formam o grupo conhecido como Opep+, iniciaram cortes recorde de bombeamento em maio, visando sustentar os preços da commodity em meio à pandemia de coronavírus.

Reportagem de Samar Hassan

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up