for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Ibovespa busca se manter no azul com ânimo global sobre vacina e estímulos nos EUA

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa buscava se sustentar no azul nesta terça-feira, com ações de companhias aéreas entre as maiores altas, na esteria da melhora do apetite a risco global por conta de anúncio de vacina russa contra Covid-19 e apostas de mais estímulos econômicos nos Estados Unidos.

REUTERS/Paulo Whitaker

Às 11:35, o Ibovespa subia 0,19%, a 103.636,76 pontos, tendo chegado a 104.408,92 pontos na máxima da sessão. O volume financeiro era de 8,46 bilhões de reais, véspera do vencimento do Ibovespa futuro.

“O destaque da manhã é a notícia de que a Rússia teria aprovado a primeira vacina contra o Covid-19 e já estaria vacinando a sua população”, observou o estrategista Dan Kawa, da TAG Investimentos, citando que o dia começou “com mais um movimento de ‘risk-on’ generalizado”.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta terça-feira que o país tornou-se o primeiro do mundo a dar aprovação regulatória para uma vacina contra a Covid-19 depois de menos de dois meses de testes em humanos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que está discutindo com autoridades de saúde da Rússia o processo para uma possível pré-qualificação pela OMS da vacina, enquanto o chefe do fundo soberano da Rússia, Kirill Dmitriev, disse que a vacina será produzida no Brasil.

Nos EUA, o S&P 500 rondava uma máxima recorde, com esperanças de um acordo sobre ajuda federal para os 30 milhões de norte-americanos desempregados.[nL1N2FD0RY]

O presidente norte-americano, Donald Trump, escreveu no Twitter que os principais democratas do Congresso querem se reunir com ele para discutir estímulos, após negociações entre democratas e Trump não avançarem na semana passada.

Do lado das commodities, os futuros de referência do minério de ferro na bolsa chinesa de Dalian fecharam em alta, mesmo viés adotado pelos preços do petróleo.

Investidores do mercado brasileiro também analisam a ata da última reunião do Copom, na qual o Banco Central reduziu a Selic a 2%. No documento, o BC disse que a Selic está perto do limite e novos cortes podem ser temporalmente espaçados.

Na visão do estrategista-chefe do banco digital modalmais, Felipe Sichel, a ata mostrou que o Copom optou por não adicionar mais ímpeto na discussão de novos cortes imediatamente, mas não fechou a porta para nova atuação.

Ele avaliou que o maior gradualismo comentado na ata parece mais pertinente ao timing do que à magnitude do corte. “Mantemos a expectativa de mais um ajuste final da taxa de juros, mas não na reunião de setembro e sim ao longo do último trimestre do ano”, afirmou em nota a clientes.

DESTAQUES

- GOL PN e AZUL PN avançavam 8,5% e 6,7%, respectivamente, na esteira do noticiário sobre vacina contra o Covid-19, uma vez que o setor tem sido um dos mais afetados pelas medidas de isolamento social. CVC BRASIL ON também era embalada pelo notíciário, mostrando alta de 4,45%. No ano, esses papéis ainda acumulam desvalorização de cerca de 47%, 60% e 52%, respectivamente.

- BTG PACTUAL UNIT subia 1,36%, em meio à repercussão positiva do resultado do segundo trimestre, com aumento de receitas apoiado no crescimento de empréstimos corporativos, gestão de fortunas e comissões do banco de investimento. Na visão de analistas do Safra, os resultados foram bons, com todas as principais linhas de receita ficando acima das expectativas da casa, apesar do ambiente econômico difícil causado pela pandemia de Covid-19.

- ITAÚ UNIBANCO PN tinha acréscimo de 0,5% e BRADESCO PN ganhava 0,82%, na esteira do clima mais positivo nos mercados como um todo.

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON avançavam 0,77% e 0,95%, respectivamente, benefiadas pela elevação dos preços do petróleo no mercado externo. O Brent subia 0,69%.

- VALE ON perdia 0,16%, após forte valorização na véspera, mesmo tendo de pano de fundo alta dos futuros de referência do minério de ferro na bolsa chinesa de Dalian nesta terça-feira, ajudada por redução nos estoques nos portos e uma demanda em alta por produtos de aço. No setor de mineração e siderurgia, USIMINAS PN recuava 0,81%, após ganhos expressivos na segunda-feira.

- MAGAZINE LUIZA ON caía 1,49%, novamente entre os destaques negativos, com o setor de comércio eletrônico como um todo em queda. VIA VAREJO ON cedia 0,78% e B2W ON mostrava declínio de 0,92%. O segmento de vendas online foi um dos que se beneficiou das medidas de isolamento social em razão da pandemia do novo coronavírus.

- COSAN ON recuava 1,05%,após divulgar na segunda-feira prejuízo líquido de 174,4 milhões de reais no segundo trimestre, ante lucro de 418,3 milhões de reais no mesmo período de 2019, impactado pelos efeitos da pandemia do coronavírus e a efeitos cambiais.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up