for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

ABPA avalia alerta da China sobre vírus em frango, mas nega transmissão via carne

04/10/2011. REUTERS/Paulo Whitaker

SÃO PAULO (Reuters) - O setor de carnes do Brasil ainda analisa informações sobre alerta emitido por uma província chinesa que disse ter detectado coronavírus em embalagens de asas de frango importadas do Brasil, disse a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) nesta quinta-feira.

A entidade, no entanto, ressaltou em nota que “ainda não está claro em que momento houve a eventual contaminação da embalagem, e se ocorreu durante o processo de transporte de exportação”.

“A ABPA reitera que não há evidências científicas de que a carne seja transmissora do vírus”, acrescentou a associação, que citou organismos internacionais como a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) e a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

O governo de Shenzhen, no sul da China, disse que amostra de asa de frango congelada importada do Brasil testou positivo para o coronavírus, o que gera temores no país oriental de que embarques de alimentos contaminados possam causar novos surtos locais da doença.

Por Luciano Costa

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up