for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Argentina tem 7 frigoríficos com exportação à China suspensa por Covid, diz fonte

Unidade de processamento de carne bovina em San Fernando, Argentina 25/06/2017 REUTERS/Marcos Brindicci

BUENOS AIRES (Reuters) - Sete frigoríficos da Argentina estão com suas exportações de carne para a China suspensas devido ao registro de casos de Covid-19 entre funcionários, disse nesta quinta-feira uma fonte do departamento sanitário argentino Senasa, que acrescentou que é possível que três das unidades comecem a retomar os embarques ao país asiático nos próximos dias.

A China é a maior compradora de carne bovina da Argentina, sendo o destino de 75% do total de 845.900 toneladas exportadas pelo país sul-americano no ano passado.

No entanto, por causa da pandemia, os países concordaram que, caso fosse registrado um caso de Covid-19 em uma fábrica argentina, esta interromperia os embarques e solicitaria sua suspensão da lista de empresas autorizadas a exportar para a China até que o Senasa e o país asiático liberassem a reintrodução.

“Há sete (estabelecimentos) temporariamente suspensos”, disse à Reuters uma fonte do Senasa, que explicou que nos próximos dias três deles poderão voltar a ser incorporados pela China à lista de companhias autorizadas.

Segundo a fonte, desde o início da pandemia um total de 11 frigoríficos se autoexcluíram de exportar para a China após a detecção de casos de coronavírus, de um total de 96 estabelecimentos que integram a lista de empresas permitidas a enviar carnes e pescados à potência asiática.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up