for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

CCR passa de lucro para prejuízo no 2º tri com efeitos da pandemia

Funcionários da CCR atendem caminhoneiro na rodovia Presidente Dutra, concessão da CCR, na altura de Guararema (SP) 22/04/2020 REUTERS/Rahel Patrasso

SÃO PAULO (Reuters) - A CCR passou de lucro para prejuízo no segundo trimestre, refletindo a queda de tráfego de rodovias, aeroportos e outros modais de mobilidade urbana sob sua concessão diante das medidas de isolamento social tomadas para conter a pandemia do coronavírus.

A companhia anunciou nesta quinta-feira que teve prejuízo comparável de 164,7 milhões de reais de abril a junho, ante lucro de 329,5 milhões em igual etapa de 2019. O prejuízo, no entanto, foi menor do que a previsão média de analistas consultados pela Refinitiv, de 194,6 milhões de reais.

O tráfego consolidado no trimestre das rodovias sob concessão da CCR, incluindo o Sistema Anhanguera/Bandeirantes e a Via Dutra, caiu 22,1% ano a ano, enquanto na mobilidade urbana o decínio atingiu 73,6%, atingindo 95% em aeroportos.

“A recuperação no tráfego de todos os modais vem acontecendo nos últimos meses, à medida que as medidas de isolamento social vêm sendo reduzidas”, disse Marcus Vinicius Vieira Macedo, gestor de relações com investidores da CCR.

O resultado operacional da companhia medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado pela mesma base somou 819,4 milhões de reais, queda de 39,7% ano a ano. A previsão de analistas para esta linha era de 678,3 milhões de reais.

Segundo Macedo, a expectativa da companhia no momento é de manter os investimentos previstos para 2020, de quase 2 bilhões de reais, a despeito dos efeitos da crise.

O executivo disse que a empresa segue interessada em participar de leilões de infraestrutura para os diferentes modais em que atua, incluindo o de aeroportos, segmento que especialistas dizem que deve ser um dos de mais lenta recuperação dos efeitos da pandemia.

“No longo prazo o setor de aeroportos continua fazendo sentido e nosso interesse não mudou”, disse Macedo.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up