for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Dólar acelera alta e supera R$5,44 com busca por proteção antes de fim de semana

03/12/2018. REUTERS/Akhtar Soomro

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar acelerou a alta na tarde desta sexta-feira e renovou a máxima intradiária, indo acima de 5,44 reais, com investidores recompondo posições na moeda em busca de proteção antes do fim de semana, com o noticiário fiscal doméstico ainda gerando apreensão.

A força do dólar ante a maioria das divisas emergentes no exterior respaldava o movimento de compra por aqui, enquanto a alta do Ibovespa sugeria que operadores estavam tomando dólares como “hedge” para apostas no mercado de ações.

“São poucos players atuando de verdade no mercado, que fica sujeito a essa volatilidade”, disse um gestor.

Outro afirmou que, como pano de fundo, havia um “mal-estar forte” com Brasil, sobretudo por causa das discussões no campo fiscal.

Na véspera, o presidente Jair Bolsonaro admitiu discussões internas no governo sobre furar o teto de gastos públicos e ainda fez críticas ao mercado financeiro, do qual cobrou “patriotismo”.

Pesquisa da XP Investimentos mostrou nesta sexta-feira que a maioria dos investidores institucionais consultados vê alguma forma de ajuste no teto de gastos para permitir despesas adicionais em 2021. De acordo com a sondagem, o dólar poderia ir a 6,50 reais em caso de ausência desse mecanismo.

Às 14h58, o dólar à vista avançava 1,15%, a 5,4294 reais na venda, depois de alcançar 5,443 reais, alta de 1,41%. Mais cedo, a moeda chegou a cair 0,18%, para 5,358 reais.

O real tem o pior desempenho entre as principais moedas nesta sessão, repetindo posição de anteontem depois de na quinta-feira liderar os ganhos entre os mercados de câmbio globais --o que evidencia a instabilidade nos preços da moeda brasileira.

A volatilidade implícita nas opções de dólar/real para três meses --uma medida da incerteza em relação à taxa de câmbio-- voltava a 20,00%, nas máximas desde o começo de julho. O real tem a segunda maior volatilidade implícita entre as principais divisas emergentes, a uma curta distância da volatilidade associada à lira turca (20,58%).

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up