for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

EXCLUSIVO-China amplia compra de petróleo dos EUA antes de revisão de acordo, dizem fontes

NOVA YORK/CINGAPURA (Reuters) - Os embarques de petróleo dos Estados Unidos para a China terão significativa alta nas próximas semanas, disseram operadores e corretores norte-americanos e importadores chineses, em momento em que as duas maiores economias do mundo se preparam para revisar o acordo comercial assinado em janeiro, depois de uma longa disputa.

Navio-tanque em terminal de petróleo no porto de Ningbo Zhoushan, China 16/05/2017 REUTERS/Stringer

Petroleiras estatais chinesas reservaram provisoriamente navios-tanques para transportar pelo menos 20 milhões de barris de petróleo dos EUA em agosto e setembro, disseram as fontes, em movimento que pode amenizar as preocupações norte-americanas com os atuais níveis de compras pela China bem abaixo do prometido na fase 1 do acordo comercial.

A China havia se posicionado como uma grande compradora de petróleo dos EUA, adquirindo o equivalente a 5,42 bilhões de dólares do produto em 2018, antes de as tensões comerciais entre os países praticamente interromperem os fluxos.

Em janeiro, a China se comprometeu a adquirir 18,5 bilhões de dólares adicionais em produtos de energia em relação ao nível de 2017, incluindo petróleo e gás natural, o que implicaria em um valor total de cerca de 25 bilhões de dólares neste ano.

As compras de petróleo dos EUA pela China totalizaram 2,06 bilhões de dólares até 30 junho, segundo dados do Departamento de Censo dos EUA, refletindo a desaceleração causada pela pandemia de Covid-19 e o impacto limitado da fase 1 do acordo.

No entanto, houve uma recente disparada nas compras pela estatal PetroChina e pela refinadora Sinopec, de acordo com as fontes.

Segundo dados do Refinitiv Eikon, um recorde mensal de 32 milhões de barris de petróleo dos EUA já estão programados para chegar à China em agosto.

Novas reservas de navios-tanques para a China saltaram mesmo com a possibilidade de que os preços do petróleo em outras partes do mundo sejam mais favoráveis aos compradores, afirmaram as fontes, que pediram para não ser identificadas por não estarem autorizadas a falar com a imprensa.

“Isso com certeza tem motivações políticas, porque há uma infinidade de barris oferecidos à Ásia com preços mais baixos que o WTI”, disse um operador, referindo-se ao valor de referência do petróleo nos EUA.

As duas empresas chinesas reservaram de cinco a seis superpetroleiros para embarques em agosto e setembro. Os navios podem transportar 2 milhões de barris de petróleo cada. Enquanto isso, Occidental Petroleum, Equinor e Vitol --exportadores de petróleo dos EUA-- reservaram um ou dois navios-tanques cada, segundo as fontes.

Reportagem de Devika Krishna Kumar, em Nova York, e Chen Aizhu, em Cingapura; reportagem adicional de Shu Zhang, em Cingapura

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up