for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

É hora de a OMC ter um líder forte, diz indicado do México

Candidato do México ao comando da OMC, Jesus Seade. Jay Louvion/Handout via REUTERS

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - A Organização Mundial do Comércio (OMC) precisa de uma personalidade forte em seu comando para retomar urgentemente negociações há tempos adiadas e levar as regras de comércio global para o século 21, disse o indicado do México, Jesus Seade.

Seade afirmou que, se for escolhido como diretor-geral da OMC, usará décadas de experiência como negociador comercial para atacar anos de impasses sobre questões como comércio eletrônico e o esgotamento dos oceanos devido ao excesso de pesca.

“Acho que as pessoas concordam que precisam de uma personalidade forte” para lidar com os gargalos, disse Seade à Reuters em entrevista na semana passada, na qual apresentou suas ideias para reparar o órgão de resolução de disputas da OMC, que tem sido obstruído pelos Estados Unidos.

Seade afirmou que, ao mesmo tempo, respeitará a natureza do grupo comercial de ser uma organização conduzida pelos membros.

Entretanto, ele afirmou que pressionará os países a resolverem as diferenças.

O grupo ficará sem comando em 31 de agosto, já que o atual diretor, o brasileiro Roberto Azevêdo, anunciou que deixaria o cargo um ano antes. Em sinal do impasse da OMC, os membros falharam em concordar com um substituto interino. A OMC tem o objetivo de escolher um novo chefe até novembro.

Seade, atualmente vice-ministro das Relações Exteriores para América do Norte, está entre os oito candidatos que serão eliminados por fases nas próximas semanas, a começar por aqueles que não devem receber um consenso dos 164 membros.

Reportagem de Frank Jack Daniel

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up