for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Ibovespa fecha acima de 102 mil pontos com alívio sobre Guedes; Magalu dispara

SÃO PAULO (Reuters) - O otimismo prevaleceu na bolsa paulista nesta terça-feira, com o alívio em relação à permanência do ministro da Economia fazendo o Ibovespa voltar aos 102 mil pontos, enquanto Magazine Luiza disparou quase 10% na esteira de resultado trimestral robusto.

Logotipo do Magazine Luiza em frente ao centro de logística da empresa em Louveira. 24/4/2018. REUTERS/Paulo Whitaker

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa fechou em alta de 2,48%, a 102.065,35 pontos. O volume financeiro somou 29 bilhões de reais.

Após ruídos de eventual saída de Paulo Guedes do governo pesarem no Ibovespa na véspera, quando fechou abaixo de 100 mil pontos, tanto o ministro como o presidente Jair Bolsonaro buscaram ainda no final da segunda-feira acalmar investidores.

Bolsonaro disse à CNN Brasil que a saída do ministro “nunca foi cogitada” e que ele e Guedes estão alinhados na decisão de que há “possibilidade zero de furar o teto de gastos”. Guedes, por sua vez, afirmou que a confiança entre ele e o presidente é recíproca.

“Essas declarações geraram alívio nos mercados”, afirmou o analista Régis Chinchila, da Terra Investimentos, avaliando o desempenho do dia como recuperação com apoio de Magazine Luiza e no desempenho das ações de siderurgia e mineração.

Mas ele ponderou que quadro fiscal ainda preocupa e pode comprometer mais estímulos para retomada da economia brasileira.

No exterior, Wall Street teve novas máximas para o Nasdaq e o S&P 500, apoiadas no desempenho de papéis de tecnologia como Amazon.com, que vêm sendo consideradas as mais confiáveis para enfrentar a crise criada pela Covid-19.

Entre as commodities, os futuros do minério de ferro saltaram, com ganhos tanto na bolsa chinesa de Dalian quanto em Cingapura, em meio a expectativas de que o uso de aço na China deve seguir firme nos próximos meses, compensando uma demanda fraca no exterior.

DESTAQUES

- MAGAZINE LUIZA ON disparou 9,6%, após mostrar vendas de abril a junho de 8,6 bilhões de reais, alta de 49% ante mesmo período de 2019, com salto de 182% no e-commerce. Em teleconferência sobre o resultado, o presidente-executivo da varejista afirmou que a companhia está aberta à aquisição “de qualquer empresa”. No setor, VIA VAREJO saltou 8,15% e B2W subiu 5,48%.

- VALE ON subiu 1,33%, ajudada por perspectivas de aumento da demanda chinesa, mas o destaque no setor de mineração e sideurgia ficou com GERDAU PN, que saltou 8,16%, seguida pela alta de 6,78% de USIMINAS PNA e CSN ON, que subiu 6,31%. Dados do Inda mostraram recuperação no setor e o presidente da entidade estimou que usinas poderão voltar a elevar preços em outubro.

- ITAÚ UNIBANCO PN e BRADESCO PN avançaram 0,58% e 1,07%, respectivamente. As altas no setor de bancos no Ibovespa lideradas pelo BTG PACTUAL UNIT, fechou com acréscimo de 8,34%.

- PETROBRAS PN valorizou-se 1,86%, apesar da debilidade dos preços do petróleo no exterior.

- JBS ON caiu 0,13%, entre as poucas baixas da sessão, com o setor de proteínas tendo performance mais fraca que o Ibovespa, após forte alta na véspera. MARFRIG teve acréscimo de 1,06% e MINERVA ON subiu 0,98%.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up