for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Não há novas negociações comerciais entre EUA e China marcadas, diz chefe de gabinete da Casa Branca

REUTERS/Aly Song/File Photo

A BORDO DO AVIÃO PRESIDENCIAL (Reuters) - Nenhuma nova negociação comercial de alto nível foi programada entre os Estados Unidos e a China, mas os dois lados permanecem em contato sobre a implementação da Fase 1 de seu acordo, disse o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, a repórteres a bordo do avião presidencial norte-americano na terça-feira.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse a repórteres durante uma visita a Yuma, no Arizona, que adiou uma revisão marcada para 15 de agosto sobre o acordo comercial assinado com a China em janeiro devido à sua frustração diante da forma como Pequim lidou com a pandemia de coronavírus.

“Adiei as negociações com a China. Sabe por quê? Não quero lidar com eles agora”, disse Trump durante um briefing sobre a construção de um muro na fronteira com o México. “O que a China fez ao mundo não era nem mesmo imaginável. Eles poderiam ter parado (o vírus).”

Meadows disse que a revisão, obrigatória como parte do acordo comercial com a China, não foi remarcada, mas o representante de Comércio dos EUA, Robert Lighthizer, manteve contato regular com seus colegas na China sobre o cumprimento de seus compromissos.

Trump adotou um tom evasivo quando questionado se ele desistiria do acordo comercial com a China, dizendo: “Veremos o que acontece.”

Durante visitas aos Estados do Arizona e Iowa na terça-feira, Trump expressou frustração devido à forma como a China está lidando com a crise de saúde e a seu fracasso em conter a doença, mas também elogiou as compras recordes de produtos agrícolas norte-americanos por Pequim.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up