March 4, 2013 / 12:37 PM / 6 years ago

Japão pode não atingir meta fiscal mesmo com crescimento de 3%--governo

TÓQUIO, 4 Mar (Reuters) - O Japão não atingirá sua meta de cortar o déficit fiscal mesmo se conseguir um crescimento econômico de 3 por cento, a menos que faça mais cortes de gastos, segundo estimativa do governo obtida pela Reuters nesta segunda-feira.

O governo busca cortar pela metade a relação do déficit orçamentário primário com o Produto Interno Bruto (PIB) até o ano fiscal de 2015/16 em relação ao nível de 2010/11, e atingir um superávit primário até 2020/21.

Isso está se tornando cada vez mais difícil depois que o Japão decidiu emitir 43 trilhões de ienes (460 bilhões de dólares) em novos títulos sob o orçamento estatal para o próximo ano fiscal, impulsionando os gastos públicos para reanimar a economia.

O balanço orçamentário primário do país, que exclui os custos de manutenção da dívida e a renda de vendas de títulos, mostrou um déficit de 6,8 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) no ano fiscal de 2010/11.

Mesmo se o Japão atingir um crescimento econômico nominal médio de 3 por cento, a proporção só irá melhorar para 3,3 por cento do PIB sem cortes de gastos, mostrou a estimativa.

Se o Japão conseguir um crescimento médio de 1,5 por cento, a taxa ficará em 3,8 por cento do PIB sem cortes de gastos.

O Japão registrou uma expansão de 1,3 por cento no PIB nominal em 2010/11, mas sofreu uma contração de 1,4 por cento no ano fiscal que terminou em março de 2012.

Reportagem de Takaya Yamaguchi

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below