10 de Julho de 2013 / às 19:05 / em 4 anos

Moagem de cana do CS cai na 2ª quinzena de junho por chuvas

SÃO PAULO, 10 Jul (Reuters) - A moagem de cana da safra 2013/14 do centro-sul do Brasil recuou 8,2 por cento na segunda quinzena de junho ante igual período do ciclo anterior, para 29,1 milhões de toneladas, por causa das chuvas que interromperam a colheita na região, disse a associação que reúne a indústria (Unica) nesta quarta-feira.

A produção de açúcar no maior produtor global da commodity na segunda quinzena caiu 16,4 por cento na comparação anual, para 1,501 milhão de toneladas, enquanto a de etanol avançou 6 por cento para 1,28 bilhão de litros.

“Essa retração na moagem ocorreu devido às chuvas que atingiram severamente algumas regiões produtoras, impedindo a operacionalização da colheita”, disse o diretor-técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, em nota.

Apesar do ritmo mais lento da moagem na quinzena, os futuros do açúcar em Nova York caíram nesta quarta-feira, uma vez que o Brasil deve processar um volume recorde de cana na atual temporada.

O diretor da Unica acrescentou que a incidência de chuvas no período foi hetereogênea, com usinas praticamente paradas em alguns locais e outras registrando impacto moderado das precipitações.

O volume também foi menor que as 35,14 milhões de toneladas processadas na primeira quinzena de junho, também sob impacto das chuvas.

ACUMULADO DA SAFRA

Mesmo com as chuvas, a moagem da cana no acumulado da safra 2013/14 continua avançada ante a safra anterior. Até o dia 1º de julho, as usinas do centro-sul processaram 180,9 milhões de toneladas, quase 41 por cento maior que o mesmo período do ciclo anterior.

Do volume total de cana moída no período, 58,15 por cento foi destinada ao etanol, percentual superior aos 53,82 por cento registrados em igual período de 2012/13.

A produção de etanol saltou 58 por cento no acumulado da safra, para 7,6 bilhões de litros, em um movimento amplamente antecipado pela indústria, por conta da isenção do PIS/Cofins e do aumento da mistura do etanol anidro à gasolina, que melhoraram o cenário para o biocombustível no mercado interno.

“Mantendo a tendência observada nas quinzenas anteriores, as unidades produtoras da região centro-sul continuaram priorizando a produção de etanol”, apontou a indústria. “Concluímos que todo o crescimento esperado de moagem poderá ser direcionado para a produção de etanol”, acrescentou.

A produção de açúcar totalizou 8,9 milhões de toneladas até o dia 1º de julho, crescimento de 33 por cento ante igual período do ano anterior.

VENDAS DE ETANOL CRESCEM

As vendas de etanol pelas unidades produtoras da região centro-sul somaram 2,24 bilhões de litros em junho, alta de 33,46 por cento ante o volume vendido no mesmo mês de 2012, segundo a Unica.

Do volume total comercializado em junho, 469,81 milhões de litros destinaram-se às exportações e 1,77 bilhão de litros ao mercado doméstico.

Na segunda metade de junho, destacou a Unica, o menor preço do etanol hidratado nas bombas estimulou as vendas. O volume de hidratado comercializado pelas usinas alcançou 545,72 milhões de litros, alta de 12,82 por cento em relação aos primeiros 15 dias do mês e crescimento de 26,37 por cento no comparativo com a mesma quinzena de 2012.

Por Fabíola Gomes

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below