23 de Agosto de 2013 / às 21:05 / em 4 anos

Com impulso de construtoras, Bovespa fecha em alta e acima dos 52 mil pontos

SÃO PAULO, 23 Ago (Reuters) - A Bovespa fechou em alta nesta sexta-feira, impulsionada pelos ganhos das construtoras e do setor financeiro, em meio à forte queda do dólar após o anúncio de medidas do governo para tentar conter a escalada da divisa norte-americana ante o real.

O Ibovespa fechou na máxima da sessão, com alta de 1,56 por cento, a 52.197 pontos, seu maior patamar em 11 semanas. Na semana, o Ibovespa subiu 1,28 por cento.

O giro financeiro na sessão desta sexta-feira foi de 9,5 bilhões de reais.

A alta do índice ocorreu em meio à queda de 3,2 por cento do dólar ante o real, após o Banco Central ter anunciado na véspera plano para a injeção potencial de 60 bilhões de dólares no mercado até o fim do ano.

A trajetória da moeda também puxou para baixo as taxas de juros futuros, à medida que reduziu temores de pressão inflacionária provocada pela variação cambial.

Nesse cenário, foram destaque de alta na bolsa paulista os papéis das construtoras, como PDG Realty, Rossi Residencial e Gafisa.

“Com a descompressão do câmbio, há também uma menor pressão para o BC estender o ciclo de aperto monetário. Os juros futuros estão caindo forte, o que favorece as construtoras”, afirmou o estrategista-chefe do Banco Mizuho, Luciano Rostagno.

O setor financeiro também deu força ao índice, com destaque para Itaú Unibanco e Bradesco.

Na outra ponta, empresas exportadoras como CSN CSNA3.SA>, Gerdau, Suzano, Fibria e Marfrig apareceram entre as principais quedas, após os papéis terem sido favorecidas recentemente pela alta do dólar. As ações da Vale também fecharam em queda.

A Petrobras encerrou o dia em alta, após ter subido mais de 5 por cento na sessão anterior. A ação seguiu reagindo à expectativa do mercado de um reajuste nos preços de combustíveis, mesmo após um porta-voz da Presidência ter negado que a presidente Dilma Rousseff tenha discutido o tema.

“É muito difícil não ter discutido. Ultimamente está difícil acreditar no que o governo vem falando. Não há como a Petrobras continuar assim, com essa defasagem de preços”, afirmou o economista-chefe da Souza Barros Corretora, Clodoir Vieira.

Para o diretor técnico da Apogeo Investimentos, Paulo Bittencourt, o Ibovespa deu nesta sessão continuidade à recuperação de preços iniciada no fim de julho. “O mercado está interessado em testar uma barreira próxima dos 52 mil pontos”, afirmou.

Veja as principais altas e baixas do dia:

ALTAS

Ação Código Preço(R$) Variação

ROSSI RESID ON 3 9,49%

GAFISA ON 3,1 8,39%

PDG REALT ON 2,43 8%

B2W GLOBAL ON 13,51 7,22%

BROOKFIELD ON 1,88 6,21%

CETIP ON 23,82 5,87%

LLX LOG ON 1,69 5,63%

OI ON 4,39 5,53%

CIA HERING ON 31,9 5,28%

OGX PETROLEO ON 0,81 5,19%

BAIXAS

Ação Código Preço(R$) Variação

MARFRIG ON 6 -3,07%

FIBRIA ON 28,1 -2,97%

SID NACIONAL ON 8,81 -2,54%

GERDAU PN 17,31 -2,26%

SUZANO PAPEL PNA 8,87 -1,99%

EMBRAER ON 19,81 -1,78%

GERDAU MET PN 21,18 -1,72%

ELETROPAULO PN 7,74 -1,15%

V-AGRO ON 3,62 -0,55%

AMBEV PN 82,78 -0,53%

Por Priscila Jordão; Edição de Raquel Stenzel

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below