27 de Agosto de 2013 / às 22:34 / 4 anos atrás

Eletrobras espera mais R$11,3 bi do governo por renovações

SÃO PAULO, 27 Ago (Reuters) - A Eletrobras <ELET6.SA. espera receber cerca de 11,3 bilhões de reais em indenização adicional por investimentos não amortizados nas concessões renovadas antecipadamente.

A companhia calcula que tem a receber 8,3 bilhões de reais por investimentos não amortizados em ativos de transmissão existentes ate maio de 2000 (Rede Básica do Sistema Existente-RBSE), e que tiveram concessões renovadas neste ano.

O governo federal ainda não definiu os valores e datas de pagamento das indenizações para esses investimentos em transmissão, sendo que os critérios para que haja o pagamento sairão até o fim do ano.

“Isso tudo (valor) foi validado pelo nosso consultor independente...e agora criamos além disso um grupo de trabalho que está refinando esse número e aguarda a regulamentação”, disse o diretor financeiro da empresa, Armando Casado de Araújo, a jornalistas, após apresentação em evento da Apimec.

Ele acrescentou que esse numero estimado ainda poderá ter algum ajuste, após concluídos os trabalhos do grupo.

A Eletrobras ainda espera receber outros 3 bilhões de reais adicionais por investimentos não amortizados em reforços e melhorias nos ativos de geração e transmissão renovados.

Esses 11,3 bilhões de reais estimados são adicionais aos cerca de 14,4 bilhões de reais que a Eletrobras já garantiu de indenização na renovação das concessões.

DESONERAÇÕES

A Eletrobras espera cortar cerca de 120 milhões de reais de despesas por ano, retirando de sua responsabilidade gastos com o reassentamento da hidrelétrica Itaparica, no Pernambuco, de sua subsidiária Chesf.

A empresa enviou uma carta ao governo federal pedindo que essa despesa seja repassada para a Codevasf, vinculada ao Ministério de Integração Nacional.

“Como essa despesa não faz mais parte do nosso custo de (operação e manutenção), foi criado um grupo de trabalho com participação da Casa Civil, do Ministério de Minas e Energia, do Ministério de Integração... para transferir essa atividade pra lá, para deixar de ser oneroso pra Chesf”, disse.

A Eletrobras também busca desoneração de despesas com um hospital mantido pela Chesf, de custos de 30 a 40 milhões de reais por ano. A expectativa é transferir o hospital para o governo do Estado de Pernambuco, que pretende transformá-lo em hospital universitário.

Casado espera que a desoneração dessas atividades já possa ser verificada no resultado da empresa a partir de 2014. Sobre as distribuidoras, Casado reafirmou que uma solução para o futuro das empresas deve sair só em 2014, mas que espera que o Santander, contratado para estudar alternativas para as empresas, apresente algum resultado do estudo em um mês. (Por Anna Flavia Rochas)

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below