18 de Setembro de 2013 / às 17:34 / em 4 anos

Estratégia da Petrobras para Libra é conhecida por poucos--CEO

BRASÍLIA, 18 Set (Reuters) - Somente duas pessoas conhecem a estratégia completa da Petrobras para a licitação da área de Libra, da camada de petróleo do pré-sal, disse nesta quarta-feira a presidente estatal, em audiência no Senado Federal para debater denúncias de espionagem na petroleira pelo governo dos Estados Unidos.

Presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, é vista durante audiência no Senado Federal para debater denúncias de espionagem na petroleira pelo governo dos Estados Unidos, em Brasília. Somente duas pessoas conhecem a estratégia completa da Petrobras para a licitação da área de Libra, da camada de petróleo do pré-sal, disse Graça nesta quarta-feira. 18/09/2013 REUTERS/Ueslei Marcelino

Maria das Graças Foster disse que somente ela própria e o diretor de Exploração e Produção, José Formigli, conhecem a estratégia da empresa para o leilão de Libra, na Bacia de Santos, considerada a maior reserva de petróleo do Brasil, que será leiloada em 21 de outubro.

A executiva disse que dados críticos da Petrobras são mantidos dentro de rigorosos padrões de segurança, são criptografados e não circulam na internet, com o objetivo de minimizar qualquer tentativa de ataque.

Ela afirmou ainda que a tecnologia de ponta da empresa não foi capaz de identificar qualquer ataque ao sistema, e acrescentou que a empresa irá investir 21,2 bilhões de reais em segurança da informação entre 2013 e 2017.

BÔNUS DO LEILÃO

A presidente disse ainda que a Petrobras já realizou o pagamento da taxa para participação no leilão de Libra, cujo prazo para quitação vence nesta quarta-feira.

Por lei, a Petrobras será a operadora única da área leiloada no pré-sal, com no mínimo 30 por cento de participação.

Questionada se a empresa não poderia arcar sozinha com a operação em Libra, a presidente afirmou que a companhia até teria condições técnicas de fazê-lo, mas economicamente isso não seria possível, considerando os outros gastos de capital da empresa, que tem o maior plano de investimento corporativo do mundo, de 236,7 bilhões de dólares em cinco anos.

Graça disse que Petrobras não suportaria pagar sozinha, por exemplo, o bônus de assinatura de 15 bilhões de reais para o leilão da reserva de Libra --esse valor fixo estabelecido pelo governo vai ser dividido entre os sócios do consórcio vencedor.

Por Nestor Rabello

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below